Android Geek
O maior site de Android em Português

Snapdragon 875 suportará carregamento rápido de 100W, e terá preço igualmente exuberante

Este chipset será comercializado como ideal para telefones de jogos com baterias grandes. A Qualcomm deve apresentar o 875 em dezembro e prepará-lo para telefones no primeiro trimestre do próximo ano.

Um ponto-chave de venda do Snapdragon 875 será o suporte para carregamento rápido de 100W, diz o leakster Digital Chat Station. Este chipset será comercializado como ideal para telefones de jogos com baterias grandes.

A Qualcomm deve apresentar o 875 em dezembro e prepará-lo para telefones no primeiro trimestre do próximo ano. O Chipset já está a ser produzido em massa pela TSMC num nó de 5nm. Pode usar o novo Cortex-X1 como núcleo principal, além de três Cortex-A77 como grandes núcleos.

A Qualcomm deve lançar ainda um Snapdragon 865+ no próximo mês. Ele aumentará a velocidade do núcleo principal para 3,09 GHz, um aumento significativo quando comparado à velocidade de clock de 2,84 GHz dos actuais Chipsets S865.

 

O Snapdragon 875 suportará carregamento rápido de 100 W, custará um braço e uma perna

Algumas empresas podem optar pelo Snapdragon 865, pois o Snapdragon 875 será significativamente mais caro do que o já dispendioso antecessor. O conjunto completo (onde se incluem o hardware necessário para a conectividade sem fio) custará US $ 250, acima dos US $ 150-160 para o Snapdragon 865. Apenas o Chipset custará US $ 130 versus US $ 80 do 865.

O suporte a carregamento a 100W provavelmente também aumenta o custo, mas a Qualcomm não é a única empresa a trabalhar nisso. Atualmente, várias outras empresas estão a trabalhar em velocidades de carregamento nessa faixa. A Xiaomi fez uma demonstração ano passado, a vivo mostrou uma Carga Super Flash de 120 W, a Samsung anunciou um Chipset USB-PD de 100 W de fabrico interno.

Fonte 1 (em chinês) | Via 1 | Fonte 2 (em coreano) | Via 2

 

Todos os dias vos trazemos dezenas de notícias sobre o mundo Android em Português. Sigam-nos no Google Notícias. Cliquem aqui e depois em Seguir. Obrigado!