Android Geek
O maior site de Android em Português

Quem é a Realme e o que tem a ver com a Oppo?

Da mesma forma que Huawei tem a Honor e Xiaomi tem agora a POCO, a Oppo, outra empresa chinesa que arrasa no seu mercado nativo e chegou à Europa há algum tempo tem a Realme. O objetivo das marcas com este tipo de estratégias comerciais é poder lançar produtos muito similares focados em públicos radicalmente diferentes.

Da mesma forma que Huawei tem a Honor e Xiaomi tem agora a POCO, a Oppo, outra empresa chinesa que arrasa no seu mercado nativo e chegou à Europa há algum tempo tem a Realme. O objetivo das marcas com este tipo de estratégias comerciais é poder lançar produtos muito similares focados em públicos radicalmente diferentes.

Quem é a Realme e o que tem a ver com a Oppo? 1

Se olharmos para o primeiro a fazer isto, a Huawei, vamos descobrir que, enquanto a empresa-mãe tem um estilo muito mais sóbrio e sério, a Honor é o oposto. A sua estratégia de comunicação é focada num público mais jovem e dinâmico. Prova disso a forma como comunicam nas redes sociais.

A Realme é algo parecido, com a diferença de que não procura o público jovem, mas procura estabelecer-se como uma referência na Índia. Este país, como sabemos, é um dos países emergentes que mais crescem. É um dos países mais populosos do mundo, metade dos seus cidadãos tem menos de 25 anos e é altamente qualificado, o que torna a Índia um mercado muito apetecível onde, por enquanto, Xiaomi, Samsung, Vivo e Oppo partilham os quatro primeiros lugares.

A marca foi oficialmente criada a 4 de maio de 2018, o Dia Nacional da Juventude da China pelo seu fundador, Sky Li.

A ideia principal por trás da Realme é o compromisso com o comércio electrónico. Por enquanto, só tem um terminal, o Realme 1, que só pode ser comprado através da Amazon India. Amazon.in é o site mais visitado em sistemas móveis e desktop, é a aplicação de compras online mais instalada e conquistou mais utilizadores no seu primeiro ano de lançamento na Índia do que em todos os países da história da Amazon, porque a Amazon Prime India inclui mais de 40 milhões de produtos locais oferecidos por terceiros. Se a Amazon é grande , na Europa e Estados Unidos, na Índia é ainda mais.

O Realme 1 é um terminal que se adapta às circunstâncias e contexto da Índia, tanto nas especificações quanto no preço. É um dispositivo de seis polegadas que tem 6 GB de RAM, 32/64/128 GB de armazenamento interno e processador MediaTek Helio P60 a 2 GHz. Tem Android 8.1 Oreo com a camada de personalização ColorOS 5.0 e uma bateria de 3.410 mAh , além de uma câmera traseira de 13 megapixels e uma câmera frontal de 8 megapixels. O Realme 1 é um terminal que pode ser considerado de alcance médio-alto (pelo processador), e preço, aos nossos olhos, é muito barato: 13,990 rúpias ou 135,96 euros (a versão mais cara).

No entanto, devemos ter em mente que o salario média na Índia é Rs 35.300 por mês, que chegam a ser 440,41 euros. Comprar um Realme 1 significa gastar mais do que 30% do salário médio num smartphone. Para se ter uma ideia, o preço do Note 9 é de 67.900 rúpias indianas, que é cerca de 838 euros. Comprar um terminal como esse significa investir o salário de dois meses, presumindo que o utilizador não come, não paga renda, serviços, etc.

Desta forma, o Realme é uma marca focada em vendas online que procura oferecer um smartphone com boas especificações a preços moderados para um país em desenvolvimento. Isso é exatamente o que outras empresas como a Xiaomi ou a Samsung estão a fazer, que ocupam as duas primeiras posições em equipamentos expedidos até agora em 2018. A Oppo, como tal, está na quarta posição com 2,5% de market share, embora cresça a cada ano. Em 2017, sua participação no mercado era de 2,2%.

 

Fonte

Partilhar é importante, mostra este artigo aos teus amigos!

Obrigado, ficamos a dever-te uma 😉

Este Website usa cookies para providenciar uma melhor experiência. Pode recusar se desejar. Aceitar Saber Mais

Partilhar é importante, mostra este artigo aos teus amigos!

Obrigado, ficamos a dever-te uma ;)
close-link