Android Geek
O maior site de Android em Português

Estados Unidos podem reduzir restrições à Huawei caso o acordo comercial com a China se concretize

Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, mostrou-se aberto para resolver a crise da Huawei com um pacto com a China e agora foi Steven Mnuchin, Secretário do Tesouro dos EUA quem assegurou que as restrições à empresa chinesa podem ser reduzidas se o acordo comercial com o país asiático for bem sucedido, esta informação foi revelada pela Reuters. “Eu acho que o que o presidente partilha da opinião que, se formos adiante na negociação, talvez consigamos fazer alterações no caso da Huawei se recebermos alguma boa vontade e segurança da China com certas garantias (…

Depois do bloqueio exercido pelo Governo dos Estados Unidos em maio passado, enquanto este bloqueio se verificar a Huawei não será capaz de trabalhar com empresas dos EUA, por isso a empresa chinesa prepara-se para lançar o Ark OS, o seu próprio sistema operativo que já foi visto em imagens. Semanas após o início do conflito, os Estados Unidos podem reduzir as restrições à Huawei caso o acordo comercial com a China se verifique. Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, mostrou-se aberto para resolver a crise da Huawei com um pacto com a China e agora foi Steven Mnuchin, Secretário do Tesouro dos EUA quem assegurou que as restrições à empresa chinesa podem ser reduzidas se o acordo comercial com o país asiático for bem sucedido, esta informação foi revelada pela Reuters.

"Eu acho que o que o presidente partilha da opinião que, se formos adiante na negociação, talvez consigamos fazer alterações no caso da Huawei se recebermos alguma boa vontade e segurança da China com certas garantias (...) Mas essas são questões de segurança nacional ", disse Steven Mnuchin.

Capa Trump

A situação da Huawei pode mudar se houver um acordo comercial

Logotipo da Huawei Os Estados Unidos e a China estão a trabalhar para chegar a um acordo comercial, algo que mudaria a situação da Huawei, uma vez que, conforme indicado pelo Secretário do Tesouro, a empresa chinesa faria parte de uma tática de negociação até chegarem a um acordo comercial que favoreça o país norte-americano. A Huawei não passa pelo o seu melhor, já que várias empresas dos EUA cortaram relacionamentos comerciais.

A primeira empresa a realizar essa ação foi o Google, além da ARM e outras que entretanto já voltaram atrás na decisão. A conhecida rede social de Mark Zuckerberg anunciou que as aplicações mais importantes e populares como WhatsApp ou Instagram não serão mais pré-instalados nos futuros smartphones da Huawei.

Parece que a situação da empresa chinesa pode tomar um novo rumo, só temos que esperar para ver se o acordo comercial entre os dois países permite que a fabricante de smartphones retorne o seu funcionamento normal.

 

Este Website usa cookies para providenciar uma melhor experiência. Pode recusar se desejar. Aceitar Saber Mais