Android Geek
O maior site de Android em Português

Xiaomi revela onde vai investir parte do capital do IPO

A Xiaomi lançou oficialmente sua oferta de IPO no mês passado na bolsa de valores de Hong Kong, onde supostamente conseguiu angariar US $ 4,5 mil milhões (!). Embora a quantia realizada seja muito menor do que os US $ 10 mil milhões esperados, a empresa está supostamente a planear usar bem os fundos. Além de consolidar as suas operações na China, a empresa vai investir parte do dinheiro na Índia. Esta estratégia é apenas e só perfeita, porque a China é o maior mercado, mas a Índia é o segundo maior.

Xiaomi india
Xiaomi Mi Store India

De acordo com Manu Kuma Jain, chefe da Xiaomi Índia, a gigante chinesa de tecnologia vai investir parte do capital arrecadado para construir o seu ecossistema de serviços de internet. A empresa também fará mais investimentos em novos produtos e criará dispositivos de IoT específicos na Índia. Além disso, a Xiaomi está a começar a entrar no segmento de smartphones premium na Índia, um terreno dominado pela Samsung e pela Apple.

Manu Jain explicou que a Xiaomi planeia gastar 30% dos US $ 4,5 mil milhões em P & D (pesquisa e desenvolvimento), enquanto os outros 30% serão gastos na construção da plataforma IoT. Além disso, 30% serão utilizados para expansão global e os restantes 10% para despesas diversas. O chefe da Xiaomi India não indicou o montante ou a percentagem do dinheiro que será canalizado para as suas operações indianas. Ele afirmou, no entanto, que “parte do dinheiro da expansão global será gasto na Índia”. Ele foi mais longe ao divulgar que a empresa fará muito mais em serviços de Internet, investimentos em startups e desenvolvimento de dispositivos IoT específicos para a Índia.

A Xiaomi tentou se posicionar como uma empresa de internet, mas não conseguiu arrancar em força, pois é mais conhecida pelos seus smartphones. Talvez, daqui para frente, a gigante de tecnologia possa continuar a sua tendência de expansão no sentido de oferecer serviços de Internet e outros produtos no segmento de IoT que tenha um apelo global. A maioria dos gadgets e outros produtos IoT da Xiaomi são projetados para o mercado chinês e, portanto, são sempre difíceis de usar fora da China devido à barreira do idioma. Esperamos que a empresa trabalhe nesse aspecto.

(fonte)

 

Ajuda-nos a chegar mais longe, partilha com os teus amigos

Obrigado pela visita!

Este Website usa cookies para providenciar uma melhor experiência. Pode recusar se desejar. Aceitar Saber Mais

Ajuda-nos a chegar mais longe, partilha com os teus amigos

Obrigado pela visita!
close-link