Android Geek
O maior site de Android em Português

Vale a pena comprar um Pixel em 2018?

Se há poucas coisas em que gosto de investir é em tecnologia, chegamos a setembro, altura do ano onde grandes nomes do mercado de smartphones apresentam ou já apresentaram os seus cavalos de corrida para o ano corrente. E este ano a Google vai apresentar o Pixel 3 e o Pixel 3 XL, como fã e utilizador do ecossistema, sempre quis e gostava de ter produtos exclusivos da Google.

Se há coisas em que gosto de investir é em tecnologia, chegamos a setembro, altura do ano onde grandes nomes do mercado apresentam ou já apresentaram as novidades para o ano corrente.

E este ano a Google vai apresentar o Pixel 3 e o Pixel 3 XL. Como fã e utilizador do ecossistema, sempre gostei de utilizar produtos da Google. E como tal fiquei entusiasmado com a noticia da nova versão do Pixel, mas como sou bastante ponderado em tudo o que compro, desde uma caixa de cereais a um telemóvel, comecei a equacionar a compra de um Pixel 3, e deparei-me com uma questão, que agora exponho aqui para vocês, valerá a pena hoje em 2018 comprar um equipamento Pixel?

Desde o primeiro smartphone Android que tive, se a memoria não me falha, terá sido um Sony Xperia Walkman, que apesar das limitações do hardware e da versão do Android que tinha, sempre ouvi dizer que a experiência Android pura, presente nos equipamentos da Google era única, rápida e suave. Logo desde do inicio sempre me cativou, não fosse um viciado em performance e otimização, bem como tudo o que facilite a minha utilização diária. Sempre me senti atraído para um equipamento com Android puro, ou o mais semelhante possível.

A aquisição de um equipamento Pixel ou Nexus, devia ser óbvia, certo?

Pois infelizmente, para mim não foi assim tão simples, pois se conseguir adquirir um equipamento a um preço mais simpático, mas que tenha aquilo que realmente preciso, geralmente opto por esse caminho. Apesar de na altura quando os smartphones Nexus foram apresentados, virem acompanhados de um preço simpático, face à maioria da concorrência. Essa não foi a minha escolha. Penso que na altura tenha sido um HTC que sinceramente era mais fraco em termos de especificações, mas que efetivamente fez o seu trabalho, sem necessidade de grandes investimentos. No entanto não era a experiência pura do Android que pretendia, e sentia aquele vazio dentro de mim.

Pois estamos em 2018 e hoje a realidade já não é a mesma, hoje temos uma vasta oferta de equipamentos, que seguem uma tendência de hardware, com pequenas diferenças entre eles, fazendo variar o seu preço, mas que oferecem uma experiência semelhante ou tão fluída como a do Android puro.

Com introdução do Android Oreo são muitas as OEMS que já apresentam os seus equipamentos com uma interface semelhante à do Android puro , oferecido pela Google. Algumas com modificações interpostas pelas marcas, ou outras como o caso da OnePlus que trilharam o seu próprio caminho com uma alternativa em muitos casos melhor ou idêntica à da Google. E claro, não podemos esquecer de outros grandes nomes, como o caso da Samsung que tem vindo a melhorar ano após ano a sua interface, o TouchWiz que agora é Samsung Experience. E que apesar do começo atribulado, atualmente no Samsung Galaxy S9 a versão Samsung Experience está completamente diferente e muito otimizada.

Voltamos novamente à mesma pergunta, valerá a pena ter um equipamento Pixel em 2018 e a sua experiência do Android Puro?

Claro que não nos podemos esquecer de outro ponderador, e talvez o mais importante, a sua exclusividade e rapidez nas atualizações, ai ninguém consegue ganhar à família Pixel ou Nexus, estes irão sempre receber as primeiras atualizações. Apesar de existirem alternativas, e entrando por outros caminhos, temos comunidades que usam versões de testes modificadas que muitas vezes conseguem imitar ou copiar a mesma interface presente nas versões de testes da Google. Mas vamos ignorar para já este pormenor, que fica reservado a um grupo especifico de utilizadores, excluído assim o comum dos mortais, que apenas pretendem adquirir um smartphone que ofereça uma interface atual e rápida, a ser que os equipamentos da Google são a escolha óbvia.

Mas com todas as fugas de informação, que têm surgido já temos um boa noção do que podemos esperar do Pixel 3 e do Pixel 3 XL quando em outubro forem revelados oficialmente. Segundo consta vamos apenas ter um simples upgrade face ao Pixel 2, maioritariamente em termos de design com a introdução de talvez o maior e mais feio entalhe que já vi.

Pessoalmente nunca fui grande fã desta moda, e tendo em conta que o objetivo de um smartphone ter um entalhe, é oferecer mais espaço de utilização do ecrã aos utilizadores incorporando todos os sensores num só local, reduzindo as margens do equipamento. Já no caso do Pixel 3 XL a