Android Geek
O maior site de Android em Português

Trump está a ser pressionado para rever a situação da Huawei. O princípio do fim da injustiça!

A Alemanha está , como sempre, a ser a mais esperta. A infraestrutura 5G será um dos pólos de desenvolvimento económico das próximas décadas, excluir a empresa que tem a tecnologia mais avançada seria uma irresponsabilidade e uma enorme perda de recursos, tempo e mais importante que tudo..

O presidente dos EUA, Donald Trump, sinalizou na sexta-feira que não pode excluir definitavamente a gigante das telecomunicações chinesa Huawei, no contexto dos principais aliados dos EUA, onde se incluem o Reino Unido, Alemanha e Nova Zelândia, todos estes expressam uma postura mais suave sobre as sanções à empresa chinesa.

Huawei logo on the glass against blurred business center. Editorial 3D

Antes que alguns comecem a pensar que os EUA são maus e que a Alemanha e Nova Zelãndia são os bons, isto não é verdade. A Alemanha está , como sempre, a ser a mais esperta. A infraestrutura 5G será um dos pólos de desenvolvimento económico das próximas décadas, excluir a empresa que tem a tecnologia mais avançada seria uma irresponsabilidade e uma enorme perda de recursos, tempo e mais importante que tudo.. dinheiro.

Trump assume que não pode fazer o que quer sem consequências

"Eu não quero bloquear empresas sem provas e com base em desculpas de segurança ... Eu estou a falar de todo mundo, inclusive (Huawei)", disse Trump ao responder uma pergunta do China Daily durante uma reunião com o vice-ministro chinês. O primeiro-ministro Liu He e as delegações que participaram da sétima rodada de conversações comerciais EUA-China.

As observações de Trump chegam um dia depois de ter feito declarações que revelam uma nova postura menos dura em relação à Huawei. num tweet na quinta-feira, ele salienta que queria que os EUA "ganhassem através da concorrência, não bloqueando as tecnologias mais avançadas atualmente".

“Eu quero a tecnologia 5G e até 6G nos Estados Unidos o mais rápido possível”, escreveu ele, observando que é “obviamente o futuro” e “muito mais poderoso, rápido e inteligente que o padrão actual”. também apelou às empresas americanas para intensificar em os esforços, "ou ficar para trás".

Captura do ecrã da conta do Twitter do presidente dos EUA, Donald Trump. / CGTN Photo
Captura do ecrã da conta do Twitter do presidente dos EUA, Donald Trump. / CGTN Photo

 

Campanha dos EUA contra a Huawei encontra relutância entre os aliados

A Huawei, líder em tecnologias 5G, foi acusada pelos EUA de criar riscos de segurança Com a sua infraestrutura de Internet de alta velocidade. E Washington também tenta há meses persuadir seus aliados a banir os produtos da Huawei.

Os EUA que estão a tentar ostracizar a Huawei encontram relutância dos seus aliados, como não apresentaram nenhuma evidência de que a empresa chinesa estivesse ou pudesse sequer  usar os seus equipamentos para realizar espionagem, contradizendo as acusações dos EUA.

Os aliados dos EUA  também não querem ficar para trás no lançamento de 5G, o que é crucial para permitir uma gama de novos serviços, como veículos autónomos e streaming de vídeo de alta resolução. Rejeitar os produtos da Huawei significará que precisam recorrer a fornecedores mais caros, mas menos competitivos, de acordo com o fundador da Huawei, Ren Zhengfei.

Na terça-feira, A primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, salienta que a Huawei nunca foi excluída da construção da rede 5G da Nova Zelândia. num talk programa local, "The AM Program".

No mesmo dia, o Wall Street Journal informou que o governo alemão também está a permitir que a Huawei entre na corrida 5G, uma recente investigação da agência de segurança cibernética do país, com a ajuda dos EUA e outros aliados, não descobriu nenhuma indicação das alegadas infracções da Huawei.

Antes disto, o Centro Nacional de Segurança Cibernética (NCSC) da Grã-Bretanha, agência de inteligência do país, concluiu que podem mitigar os alegados riscos de usar produtos Huawei em redes 5G, indicando que não está em cima da mesa proibir a empresa, de acordo com um informação do Financial Times.

Na sua última entrevista à CBS na quinta-feira, o CEO da Huawei, Ren Zhengfei, salienta que, graças à "promoção" do governo Trump, a Huawei está até mesmo a conseguir mais contratos.

Trump está a ser pressionado para rever a situação da Huawei. O princípio do fim da injustiça! 1
Ren Zhengfei, fundador e diretor executivo da Huawei Technologies Co., fala durante uma entrevista na sede da empresa em Shenzhen, China, em 15 de janeiro de 2019. / VCG Photo

 

“O 5G não era conhecido pelas pessoas comuns. Mas agora, as atitudes do governo dos EUA põs o mundo a falar sobre 5G ...  ”, disse Ren à CBS.

No mês passado, a empresa informou que conseguiu 30 contratos comerciais de 5G, dos quais mais de 50% estão na Europa.

Fonte

Este Website usa cookies para providenciar uma melhor experiência. Pode recusar se desejar. Aceitar Saber Mais