As parcerias entre marcas são geralmente a parte menos interessante de um anúncio de um novo telefone, mas o último lançamento de telefone da Samsung vem com alguns detalhes que não podem ser ignorados. O anúncio do Galaxy A8s incluiu o surpreendente anúncio de uma parceria com a Supreme na China No entanto, não é a Supreme “real”; é uma falsa empresa italiana que tem usado ese nome.

Na verdade aqui na Europa a marca Supreme não é muito conhecida. Mas noutros mercados como o chinês e americano a marca faz um grande sucesso com as crianças que realmente gostam de roupas e acessórios da marca Supreme. A Supreme, com sede em Nova York, deixou de registar a sua marca em vários lugares. Isso permitiu que uma empresa chamada International Brand Firm montasse a Supreme Italia para vender itens da marca Supreme. Supreme (a verdadeira) recentemente perdeu uma processo de falsificação na Itália contra a falsa Supreme, que aparentemente tornou a Supreme Italia mais ousada. Estão a ver o filme? A Supreme italia basicamente “roubou” a marca á Supreme original, digam os tribunais o que disserem.

A Samsung está descaradamente a aliar-se à "falsa" marca Supreme na China 1

Voltando ao anúncio do Galaxy A8s . A Samsung colocou dois homens no palco para o evento, que afirmavam ser os CEOs da Supreme. Eles anunciaram que a Supreme abrirá uma loja de sete andares em Pequim e realizará um desfile em Xangai como parte da parceria da Samsung. Leo Lau, da Samsung, mais tarde esclareceu na rede social chinesa Weibo que a empresa sabe que está a trabalhar com a Supreme Italia, dona do nome na maior parte da região Ásia-Pacífico. Aqui está a declaração completa.

A marca com a qual estamos a colaborar é a Supreme Italia, não a Supreme US. A Supreme dos EUA não tem autorização para vender e comercializar na China. A marca italiana obteve a licença de retalho de produtos e a autorização de comercialização da APAC (exceto no Japão).

A verdadeira Supreme não está a achar piada nenhuma e chama á outra Supreme Italiana uma “organização falsificada”. Ver abaixo.

A Supreme não está a trabalhar com a Samsung, para abrir uma loja em Pequim ou participar de um desfile da Mercedes-Benz. Essas alegações são descaradamente falsas e propaganda de uma organização falsificada.

A necessidade desta declaração ilustra por que as marcas registadas são importantes. A Supreme cometeu um erro grave quando não conseguiu garantir o seu nome em outros países. Por enquanto, a Samsung continua com as negociações com a falsa Suprem, mas os consumidores chineses podem nem sequer se importar. Eles só querem o produto final.