Android Geek
O maior site de Android em Português

Huawei quer que o seu assistente virtual tenha a capacidade de ler as emoções

Siri, Cortana, Alexa e Google Assistant são assistentes pessoais virtuais que transmitem informações e lidam com tarefas de maneira robótica. As emoções são deixadas de fora das respostas desses ajudantes digitais, independentemente do estado emocional atual do utilizador.

Agora, o terceiro maior fabricante de smartphones do mundo diz que está a trabalhar em software que usará a inteligência artificial para ajudar o seu próprio assistente pessoal virtual a interagir com os utilizadores a um nível emocional. A empresa lançou um assistente virtual na China em 2013, que é usado diariamente por 110 milhões de pessoas, e espera melhorá-lo no futuro com um software que permite o uso da emoção AI.

No início do ano, a investigadora Gartner disse que a IA da emoção será capaz de usar a análise para detectar o humor das pessoas e responder com respostas mais personalizadas. De acordo com a vice-presidente de pesquisa do Gartner, Annette Zimmerman, "até 2022, o vosso dispositivo pessoal saberá mais sobre o seu estado emocional do que a sua própria família". Com a capacidade de ler expressões faciais, analisar a voz e o comportamento do utilizador, os assistentes virtuais poderão entender o contexto dos comandos que recebem e responder com uma resposta mais alinhada às emoções do utilizador.

Huawei quer que o seu assistente virtual tenha a capacidade de ler as emoções 1

Segundo o Gartner, assistentes virtuais com a capacidade de ler emoções seriam úteis em automóveis e serviços de saúde. Carros equipados com um ajudante digital seriam capazes de decidir se o motorista está cansado, estressado, zangado ou frustrado, e controlar o carro de uma maneira que tornaria a viagem mais segura. Nos serviços de saúde, um assistente virtual com IA de emoção pode monitorarizar a saúde mental de uma pessoa 24 horas por dia, 7 dias por semana, e alertar os profissionais de saúde caso seja detectado um problema.

James Lu, diretor de produtos AI no grupo de negócios de consumo da Huawei , diz que o que sua empresa tem em mente é um assistente virtual que vai estender as conversas o maior tempo possível para que o utilizador não se sinta sozinho. Isso requer que um assistente ofereça um QI alto e um QE alto (quociente emocional).

O mais recente chipset da Huawei, o Kirin 970, é equipado com uma Unidade de Processamento Neural (NPU) dedicada que aciona recursos de AI em aparelhos equipados com o chip. Atualmente, o SoC alimenta os seguintes equipamentos Huawei P20 Pro , P20Huawei Mate 10 Pro na casa mãe, e Honor V10 e Honor 10 na sub marca Honor.

fonte: CNBC

 

Partilhem com os vossos amigos e ajudem este projecto em Português.

Obrigado pela visita!

Este Website usa cookies para providenciar uma melhor experiência. Pode recusar se desejar. Aceitar Saber Mais

Partilhem com os vossos amigos e ajudem este projecto em Português.

Obrigado pela visita!
close-link