Android Geek
O maior site de Android em Português

Há três mal entendidos sobre a Xiaomi que Lei Jun faz questão de esclarecer

Como era de se esperar, falou sobre a empresa chinesa e o seu discurso concentrou-se em três mal entendidos comuns sobre a Xiaomi, que achou por bem esclarecer. Provavelmente, existem mais de três equívocos sobre Xiaomi, mas Lei Jun reduziu para três, que considera os principais.

O fundador e CEO da Xiaomi ,Lei Jun esteve entre os participantes da Reunião Anual do Fórum Yabuli de 2020, realizada a 18 de novembro. Como era de se esperar, falou sobre a empresa chinesa e o seu discurso concentrou-se em três mal entendidos comuns sobre a Xiaomi, que achou por bem esclarecer.

Há três mal entendidos sobre a Xiaomi que Lei Jun faz questão de esclarecer 1

Provavelmente, existem mais de três equívocos sobre Xiaomi, mas Lei Jun reduziu para três, que considera os principais.

Todos os produtos da Xiaomi são baratos?

Um deles, diz ele, é que a maioria dos utilizadores considera todos os produtos da Xiaomi como de baixo custo. Isso provavelmente é um resultado da empresa ser uma marca chinesa e do preço médio dos modelos, ser regularmente mais barato do que de marcas concorrentes.

Para clarificar, ele afirmou que a empresa passou a fabricar produtos de alto perfil desde a Mi 10 Extreme Comemorative Edition. Lei Jun diz que o telefone é um dos smartphones mais vendidos neste ano. A TV inteligente de 98 polegadas com preço de 20.000 yuans (2570€) também é extremamente popular.Há três mal entendidos sobre a Xiaomi que Lei Jun faz questão de esclarecer 2

A Xiaomi não fabrica os seus produtos?

O segundo equívoco é que os produtos da Xiaomi são todos fabricados por terceiros (OEM). Lei Jun admitiu que ficou desapontado ao ouvir isso. Ele esclareceu que a Xiaomi desenha,produz e desenvolve muitos dos seus produtos.Há três mal entendidos sobre a Xiaomi que Lei Jun faz questão de esclarecer 3

Lei Jun revelou ainda que a empresa tem como objetivo afirmar-se como uma força no setor de fabrico. A empresa comissionou a linha de produção inteligente mais sofisticada da China, que é quase totalmente automatizada. A fábrica inteligente que está localizada em Yizhuang, Pequim, pode produzir 10 milhões de smartphones ultra-high-end anualmente e tem apenas 100 funcionários, onde se inclui engenheiros. O interessante sobre a fábrica é que todo o equipamento, excepto a máquina de colocação, é autodesenvolvido pela Xiaomi ou por uma empresa na qual a Xiaomi investiu. Para construir esta fábrica, supostamente investiu em 110 empresas de equipamentos inteligentes durante três anos.

A Xiaomi não possui tecnologia própria?

Finalmente, o terceiro equívoco é que a Xiaomi não possui tecnologia. Lei Jun não respondeu diretamente, mas falou sobre o crescimento dos negócios da Xiaomi nos últimos 10 anos. Em 2011, a receita da Xiaomi foi de apenas 500 milhões, e em 2019 atingiu 205,8 mil milhões, ocupando o posto 422 no ranking Fortune Global 500. A Xiaomi está no campo mais competitivo do mundo. Existem Apple, Samsung e Huawei. Ele observou que, para atingir esse crescimento, não é possível viver sem a tecnologia como base.

Relacionado:  One UI 3.0 Beta com Android 11 agora disponível para Galaxy Note 10, Note 10+

A tecnologia de câmara líder nos modelos Mi FlagShip é outro exemplo que o CEO usou para arquivar as conversas de que a marca não tinha tecnologia própria. Lei Jun deu a entender que a Xiaomi tomou a decisão de reinventar a sua tecnologia da câmara há quatro anos, em 2016, quando o negócio de tecnologia móvel da Xiaomi estabeleceu um departamento de dispositivos central com um grupo de câmaras dedicado.

Em maio de 2018, reforçou a posição estabelecimento de um departamento de câmaras único, diz Lei Jun. Quando foi estabelecido, havia apenas 122 engenheiros no departamento de câmaras. Hoje, o número de engenheiros no departamento de câmaras chega a 826, um aumento de quase 6 vezes. Isso não inclui os mais de 350 engenheiros que fornecem suporte técnico para câmaras AI.

Lei Jun também deu a entender que a empresa montou os seus centros de pesquisa e desenvolvimento de câmaras em cidades ao redor do mundo onde reconhecem a existência de talentos. São já nove centros de P&D localizados em Pequim, Paris, Tóquio, Santiago e outras cidades. os resultados são evidentes nos dispositivos de primeira linha da Xiaomi a chegar a o topo da classificação no DXOMark com ótimas críticas.Há três mal entendidos sobre a Xiaomi que Lei Jun faz questão de esclarecer 4

O CEO também falou sobre a tecnologia de carregamento da marca, onde se inclui o seu adaptador de carregamento GaN. Embora seja um produto de tecnologia menor, a popularidade e a velocidade com que a Xiaomi começou a fabricar adaptadores GaN baratos mostra a determinação em ajudar mais pessoas a adotar soluções tecnológicas FlagShip.

Finalmente, Lei Jun expressou a esperança de que nos próximos dez anos, a Xiaomi promova o fabrico chinês e o design chinês para se tornar verdadeiramente uma marca de renome mundial.

(Através da)

 

Todos os dias vos trazemos dezenas de notícias sobre o mundo Android em Português. Sigam-nos no Google Notícias. Cliquem aqui e depois em Seguir. Obrigado!