Fabricantes produzem mais portáteis em detrimento dos Chromebooks devido à escassez de componentes

‎A IDC diz que os envios de ‎‎Chromebooks‎‎ cresceram 68,6% no segundo trimestre de 2021. Por outro lado, os envios ‎‎de tablets‎‎ aumentaram apenas 4,2% yoY.

‎De acordo com um ‎‎relatório‎‎ da IDC, as remessas de Chromebooks e tablets continuaram a crescer no 2º trimestre de 2021. Embora a procura por estas duas categorias de produtos continue a existir, o seu crescimento poderá sofrer um impacto no próximo trimestre.‎

‎A IDC diz que os envios de ‎‎Chromebooks‎‎ cresceram 68,6% no segundo trimestre de 2021. Por outro lado, os envios ‎‎de tablets‎‎ aumentaram apenas 4,2% yoY. Os seus números foram de 12,3 milhões de unidades e 40,5 milhões de unidades, respectivamente.‎

‎Embora o último trimestre não tenha estabelecido nenhum recorde como os trimestres anteriores, os números são fortes o suficiente. Então porque é que os carregamentos podem ser afetados? A resposta é devido à já muito falada escassez de componentes.

Fabricantes produzem mais portáteis em detrimento dos Chromebooks devido à escassez de componentes 1

‎De acordo com a IDC, os Chromebooks ainda estão com uma procura elevada. Na verdade, muitos acordos de educação ainda estão atrasados. Mas, apesar disso, os OEMs começaram a dar prioridade a portáteis Windows de maior margem devido à contínua escassez global de componentes.‎

‎Para além disso, o relatório também afirma que a procura dos consumidores por tablets pode diminuir muito mais rápido do que os Chromebooks. Esta deverá ser uma preocupação maior para OEMs como ‎‎Xiaomi‎‎, ‎‎Realme‎‎, ‎‎OPPO‎‎, ‎‎OnePlus ‎‎e Vivo‎‎ que devem lançar tablets no segundo semestre de 2021.‎

‎De qualquer forma, de acordo com o analista de pesquisa da IDC, Anuroopa Nataraj, ainda há amplas oportunidades para tablets e Chromebooks no setor educacional. Os mercados emergentes continuam a usar tablets Android, enquanto que os mercados desenvolvidos como os EUA e o Canadá preferem Chromebooks. Algumas regiões asiáticas e europeias também começaram a inclinar-se ligeiramente para os Chromebooks ultimamente.‎

A Apple e o iPad continuam a ser o rei dos tablets enquanto que a Samsung segue em segundo lugar. No ano passado, a IDC informou que a Samsung vendeu 8 milhões de tablets de Março a Junho, o que é mais 1 milhão do que o que tinha feito no ano passado durante este período de tempo.

Leiam as últimas notícias do mundo da tecnologia no Google News , Facebook  e Twitter e também no nosso Grupo de Telegram
Relacionado:  Vivo apresenta seu processador para smartphones, o V1 focado em fotografia
Todos os dias vos trazemos dezenas de notícias sobre o mundo Android em Português. Sigam-nos no Google Notícias. Cliquem aqui e depois em Seguir. Obrigado!