Android Geek
O maior site de Android em Português

Desmontagem de uma estação base Huawei 5G revela quase 30% de componentes dos EUA

Agora, o Nikkei Asia relata que a desmontagem de uma estação base 5G da Huawei l mostra que usa cerca de 30 por cento dos componentes de fornecedores baseados nos Estados Unidos. Também foi revelado que o principal semicondutor na unidade, que tem o nome de código “Hi1382 TAIWAN” representando o chipset HiSilicon, foi fornecido por um fabricante contratado com sede em Taiwan, TSMC.

A Huawei, fabricante líder mundial de equipamentos de telecomunicações, enfrenta várias sanções dos Estados Unidos num momento em que há uma guerra acirrada entre os EUA e China para controlar a tecnologia 5G.

Agora, o Nikkei Asia relata que a desmontagem de uma estação base 5G da Huawei l mostra que usa cerca de 30 por cento dos componentes de fornecedores baseados nos Estados Unidos.

Huawei Logo MWC 2019

Também foi revelado que o principal semicondutor na unidade, que tem o nome de código “Hi1382 TAIWAN” representando o chipset HiSilicon, foi fornecido por um fabricante contratado com sede em Taiwan, TSMC.

A informação lança luz sobre o facto de que o gigante chinês ainda não é totalmente independente do abastecimento de componentes das empresas sediadas nos Estados Unidos. Mas, dado que a empresa está sob sanções duras ,terá que se contentar com os equipamentos que tem em stock, por enquanto.

A unidade de banda base da Huawei mede 49 cm x 9 cm x 34 cm e pesa cerca de 10 kg. O dispositivo é geralmente colocado no telhado de um prédio para processar sinais de voz para transmissão de e para smartphones.

O custo de produção estimado para a unidade é de US $ 1.320, dos quais os componentes de fabrico chinesa respondem por 48,2 por cento, valor superior ao valor comparativo para o modelo Mate30, que tem 41,8%. Os Chipsets e outros componentes feitos nos Estados Unidos respondem por 27,2% do custo total.

Os Estados Unidos impuseram novas restrições sobre a Huawei, que entraram em vigor no mês passado. Com estas restrições, foi proibida a aquisição de chipsets de empresas sediadas nos EUA ou empresas que usam tecnologias americanas.

No entanto, as empresas já começaram a solicitar licenças especiais aos Estados Unidos para continuar a fazer negócios com a Huawei. Embora a Intel e a AMD tenham já conseguido uma licença, empresas como a Qualcomm, Samsung, MediaTek, etc. também solicitaram uma licença especial dos EUA, ainda seem resposta.

Todos os dias vos trazemos dezenas de notícias sobre o mundo Android em Português. Sigam-nos no Google Notícias. Cliquem aqui e depois em Seguir. Obrigado!