Android Geek
O maior site de Android em Português

Construir um veículo espacial, enviá-lo para a lua, vender os direitos do filme: assim foram os 30 anos da iRobot

É irónico, que mudar o mundo, significasse enviar um robot para o nosso satélite natural. Infelizmente, esse modelo de negócios falhou.

Aquilo foi o primeiro modelo de negócios da iRobot em 1990, implicava uma perspectiva de mudar o mundo. É irónico, que mudar o mundo, significasse enviar um robot para o nosso satélite natural. Infelizmente, esse modelo de negócios falhou. E não foi o único que falhou na iRobot até chegar ao patamar em que se encontra hoje.

Mudar o mundo através de robots, ao que parece, não é tarefa fácil

O fundador da iRobot,Colin Angle diz que talvez o maior desafio quando começaram em 1990 tenha sido o facto de não existir um livro de regras sobre como fazer e tronar um negócio de sucesso fabricar robots. Não havia muitos robots, muito menos empresas de robots, muito menos qualquer tipo de indústria de robots. A iRobot teve que fazer tudo do zero.

Construir um veículo espacial, enviá-lo para a lua, vender os direitos do filme: assim foram os 30 anos da iRobot 1

Trilhar esse caminho significava estar à vontade com a ambiguidade e com o conhecimento de que nem tudo o que iam testar funcionaria - pelo menos não da maneira que originalmente pretendiam. Foi e continua a ser o custo de inventar o futuro.

Trilhar esse caminho difícil também significa aprender com erros, limpar o pó, tentar novamente e, eventualmente, fazer o que se propuseram a fazer: mudar o mundo através de robots.

O que a iRobot aprendeu na sua jornada de 30 anos a construir a indústria de robots?

robots são difíceis.

O fundador da iRobot,Colin Angle já tinha dito isto antes: quando fundaram a iRobot, tiveram que inventar todos os elementos do robot. A navegação espacial era um problema de robot, o reconhecimento de voz era um problema de robot, a visão de máquina era um problema de robot, só para citar alguns. Naquela época, ninguém havia tentado sequer resolver esses problemas difíceis. Como muitos desses problemas era reais, a indústria de robots, passou tempos difíceis. Felizmente, os tempos mudaram e o ecossistema á volta das tecnologias que tornam os robots possíveis é muito mais rico ... mas naquela época ... era apenas a iRobot.

Ainda hoje, com um ecossistema muito maior de mentes brilhantes resolvendo os problemas da tecnologia, conseguir que um robot funcione com sucesso ainda significa ter a combinação certa de engenharia mecânica, elétrica , software, conectividade e ciência na forma de um robot em que as pessoas confiem e desejem levar para sua casa.

Construir um veículo espacial, enviá-lo para a lua, vender os direitos do filme: assim foram os 30 anos da iRobot 2

Por falar em confiança, havia outro desafio - mesmo quando a iRobot conseguiu inventar um robot que funcionou extraordinariamente bem - Roomba - os consumidores simplesmente não acreditavam que um robot pudesse fazer o que a iRobot afirmava que o Roomba era capaz de fazer. Acontece que a principal objeção à compra de um robot nos últimos 30 anos é a falta de confiança de que poderia funcionar.

Mas a iRobot aprendeu que mesmo se inventa um robot quase perfeito, é possível construí-lo de forma errada. A iRobot pensou o Roomba para atender aos padrões de confiabilidade dos aspiradores verticais europeus, algo que os enchia de orgulho. No entanto não previram que os clientes executariam o Roomba uma vez por dia, em vez da média de uma vez por semana estabelecida pelo padrão europeu - e quando a primeira geração de robots Roomba começou a falhar dois anos antes do previsto ... a iRobot aprendeu que um ótimo atendimento ao cliente e uma política de devolução generosa eram uma parte muito importante de um bom robot - assim como constatação de que não podiam comparar a utilização que é dada a uma ferramenta tradicional com o uso que se dá a um robot. Mais uma vez não havia histórico, mas a iRobot aproveitou para evoluir.

Construir um veículo espacial, enviá-lo para a lua, vender os direitos do filme: assim foram os 30 anos da iRobot 3

Bons modelos de negócios são mais difíceis de construir do que bons robots

Durante muito tempo nenhuma empresa de robots tinha um modelo de negócios que valesse a pena financiar. Acontece que um modelo de negócios é tão importante quanto a tecnologia, mas mais raramente encontrado numa empresa de robots. E, durante muito tempo, a iRobot não foi excepção: tentaram 14 modelos de negócios antes de chega a um que funcionasse de maneira sustentável.

Construir um veículo espacial, enviá-lo para a lua, vender os direitos do filme: assim foram os 30 anos da iRobot 4

É um dos grandes mal-entendidos do empreendedorismo - que grandes empreendedores correm grandes riscos. Grandes empreendedores não são grandes apreciadores de riscos ... eles são grandes gestores de risco. E isso é algo em que a iRobot já é excepcionalmente boa.

Como geriram os riscos desde o início? Através de parcerias. O tipo de parceria em que havia uma grande empresa - uma que tinha muito dinheiro, um canal para o mercado e conhecimento desse mercado, mas, por qualquer motivo, não acreditavam ser inovadoras - e a iRobot- uma pequena empresa sem dinheiro, mas com uma tecnologia interessante e altamente capaz de inovar.

Construir um veículo espacial, enviá-lo para a lua, vender os direitos do filme: assim foram os 30 anos da iRobot 5

O que a iRobot fez foi dar ao parceiro, a grande empresa, controlo absoluto. Ao fazê-lo, ficava do lado do parceiro cobrir os custos ... o que eles fizeram.

Essa abordagem de "Parceria estratégica assimétrica" ​​não apenas forneceu os fundos necessários para sustentar os negócios quando a iRobot não tinha um modelo de negócios sustentável - como o "fracasso" dessas parcerias levou ao sucesso final. Por quê? Porque…

Inovação e fracasso vêm de mãos dadas

Embora isso esteja longe de ser uma afirmação inovadora, a sua aplicabilidade à iRobot é evidente. Para serem bem-sucedidos, tiveram que aprender lições: errar ao ter royalties sobre os robots (modelo de negócios nº 3), errar ao licenciar a tecnologia para robots industriais de limpeza (modelo de negócios nº 8) e errar na venda de robots para remoção de minas terrestres (modelo de negócios nº 11).

Construir um veículo espacial, enviá-lo para a lua, vender os direitos do filme: assim foram os 30 anos da iRobot 6

Por quê? O modelo nº 3 ensinou a iRobot a fabricar em escala, o nº 8 ensinou a iRobot a limpar superficíes e o nº 11 ensinou a iRobot a navegar e cobrir grandes espaços. Tudo deu à iRobot o  conhecimento e a capacidade de criar ... o Roomba.

 

iRobot apresenta os novos Roomba s9+ e Braavajet m6, os robots mais avançados da marca

 

Sim, é possível mudar o mundo através de robots

A iRobot segundo o seu fundador mudou o mundo eliminando a necessidade de as pessoas aspirarem a casa. Mas talvez a maneira mais importante de mudar o mundo seja a de transformar os robots numa realidade diária. E como sabemos que os robots agora são uma realidade? Porque durante a maior parte dos primeiros 30 anos da iRobot, o que as pessoas diziam sobre robots - e especificamente sobre o Roomba - era: "Não acredito que realmente funcione"

Mas agora ... a pergunta que fazemos é "Por que os robots não podem fazer mais?"

É uma ótima questão. E a resposta está nos próximos 30 anos da iRobot.

 

Fonte

Este Website usa cookies para providenciar uma melhor experiência. Pode recusar se desejar. Aceitar Saber Mais