Android Geek
O maior site de Android em Português

China ameaça India por causa do 5G Huawei

Por isso, enquanto os Estados Unidos fazem campanha contra a Huawei na Europa, a China tem alertado países em desenvolvimento sobre as consequências de seguirem a orientação do governo Trump.

A China entrou em acção e alertou o governo da Índia que as empresas do país podem sofrer sanções comerciais caso a Huawei seja proibida de operar no seu mercado. A informação foi publicada pela Reuters e teve como base fontes que tiveram acesso a um diálogo que ocorreu em Pequim.

huawei "width =" 1200 "height =" 800 "srcset =" https://androidgeek.pt/wp-content/uploads/2019/08/huawei-logo.jpg 1200w, https: //www.gizmochina. com / wp-conteúdo / uploads / 2019/07 / huawei-logo-300x200.jpg 300w, https://www.gizmochina.com/wp-content/uploads/2019/07/huawei-logo-768x512.jpg 768w, https://www.gizmochina.com/wp-content/uploads/2019/07/huawei-logo-1024x683.jpg 1024w, https://www.gizmochina.com/wp-content/uploads/2019/07/huawei -logo-696x464.jpg 696w, https://www.gizmochina.com/wp-content/uploads/2019/07/huawei-logo-1068x712.jpg 1068w, https://www.gizmochina.com/wp-content /uploads/2019/07/huawei-logo-630x420.jpg 630w "sizes =" (largura max: 1200px) 100vw, 1200px "/> Naquela época, a convergência de 5G, 4K +, VR, AR e <a href=

Por isso, enquanto os Estados Unidos fazem campanha contra a Huawei na Europa, a China tem alertado países em desenvolvimento sobre as consequências de seguirem a orientação do governo Trump.

Segundo fontes em Pequim, o embaixador da Índia na China chegou a ser chamado ao Ministério de Relações Externas do país. Durante as discussões, autoridades chinesas disseram que podem haver "sanções reversas" contra empresas indianas, caso a Huawei seja proibida de operar no mercado 5G indiano.

A reunião aconteceu após a Índia iniciar o projeto de implementação da nova rede sem convidar a Huawei para o debate.

Quando questionado sobre a reunião, o Ministério das Relações Externas da China aponta que Pequim espera que a Índia tome uma "decisão independente de pressões" no mercado 5G. O porta-voz Hua Chunying disse:

A Huawei realiza operações na Índia há muito tempo e fez contribuições para o desenvolvimento da sociedade e da economia indiana que são evidentes para todos. Sobre a questão das empresas chinesas que participam da construção do 5G na Índia, esperamos que o lado indiano tome uma decisão independente, objetiva e que proporcione um ambiente comercial justo e não discriminatório para o investimento e as operações das empresas chinesas.

Já o Ministério das Relações Externas da Índia não confirmou a reunião realizada em Pequim e também não quis se manifestar oficialmente sobre o assunto. Já um congressista dos EUA, Jim Banks, usou o seu Twitter para criticar a ação realizada pelo governo de Xi Jinping:

A China está agora a chantagear a Índia para usar a #Huawei na sua infraestrutura 5G - eles não conhecem limites! O #CCP [Partido Comunista Chinês] leva os países a se exporem à vigilância e à espionagem

Apesar de Pequim ter agido preventivamente, ao que tudo indica, a Índia não deve levantar obstáculos à Huawei no seu mercado 5G. Isso porque, apesar de vozes conservadoras incentivarem uma desconfiança em relação à China, o primeiro-ministro, Narendra Modi, não quer prejudicar empresas indianas no gigante asiático. Além disso, Modi também teme que antigas disputas territoriais voltem a acontecer. Assim, a tendência é que o país tenha muita cautela na relação com a China e procure acordos que sejam vantajosos para as duas partes. numa reunião com Xi Jinping, o primeiro-ministro chegou a negociar uma redução no déficit comercial entre os países. Já o Ministério do Interior, que é responsável pela segurança e infraestrutura da índia, aponta que não há nenhuma prova de que a Huawei seja usada para espionagem. Por isso, o comitê de telecomunicações já estuda incluir a chinesa nos testes da rede 5G:

Não podemos simplesmente rejeitá-los apenas porque são chineses.

Fonte

Este Website usa cookies para providenciar uma melhor experiência. Pode recusar se desejar. Aceitar Saber Mais