Android Geek
O maior site de Android em Português

Apple quebra as suas próprias regras no Apple News +

Apresentam um botão “Experimente agora” que leva o utilizador diretamente para o ecrã de pagamento. As diretrizes da Apple para os programadores dizem claramente:

A última ofensiva da Apple está na aplicação Notícias +.  O que é de estranhar é a forma como a Apple permite que os utilizadores se inscrevam. Apresentam um botão "Experimente agora" que leva o utilizador diretamente para o ecrã de pagamento.

Apple quebra as suas próprias regras no Apple News + 1

As diretrizes da Apple para os programadores dizem claramente:

"Certifique-se de que os utilizadores saibam que, após o término do período de teste gratuito, um pagamento será iniciado automaticamente para a próxima assinatura  periódica e poderá ser cancelado a qualquer momento".

O ecrã em questão não apresenta nenhum link para uma política de privacidade, nenhum link para uma página de suporte e não oferece informações sobre como cancelar - isso de acordo com o programador de iOS @davedelong, que twittou a violação na segunda-feira.

O ecrã abaixo mostra como a Apple espera que os ecrãs de assinatura de renovação automática sejam . A página de notícias da Apple + está incorporada no tweet acima.

Apple quebra as suas próprias regras no Apple News + 2

Outros programadores de aplicações relembram as vezes em que o texto “Experimente grátis” num botão de inscrição foi imediatamente rejeitado pela Apple, uma vez que querem “garantir que os utilizadores não sejam enganados”.

Podem ler aqui as diretrizes.

Apple quebra as suas próprias regras no Apple News + 3

Esta não é a primeira vez que a Apple foi apanhada a quebrar as suas próprias regras. também já enviou notificações indesejadas para promover o Apple Music quando foi lançado pela primeira vez, bem como para o Carpool Karaoke.

Em meados de março, o Spotify acusou publicamente Apple e apresentou uma queixa à Comissão europeia pelas suas práticas anticompetitivas. A reclamação foi direcionada ao “imposto” de 30% que a Apple cobra por aplicações baseadas em assinaturas entre outras práticas “anticompetitivas”.

O principal argumento da reclamação é que a Apple não segue as regras que define para outros programadores de aplicações, o que dificulta a concorrência com os próprios serviços da Apple.

Através de

 

Ajuda-nos a chegar mais longe, partilha com os teus amigos

Obrigado pela visita!

Este Website usa cookies para providenciar uma melhor experiência. Pode recusar se desejar. Aceitar Saber Mais

Ajuda-nos a chegar mais longe, partilha com os teus amigos

Obrigado pela visita!
close-link