Android Geek
O maior site de Android em Português

Ren Zhengfei, fundador da Huawei, diz que protestará se a China lançar uma retaliação contra a Apple

Esta lista negra provocou uma reação em cadeia de resposta de empresas e aliados dos EUA em conformidade com a proibição. Empresas como Google, Intel, Qualcomm, ARM e SD Association cortaram laços com a empresa por solicitação dos EUA.

A Huawei te dominado o espaço online desde a semana passada, mas, infelizmente, não é por causa do último telefone ou de novos produtos lançados pela empresa. Em vez disso, a empresa está nas bocas do mundo por causa de se encontrar na lista negra comercial que o governo dos EUA divulgou recentemente.

Esta lista negra provocou uma reação em cadeia de resposta de empresas e aliados dos EUA em conformidade com a proibição. Empresas como Google, Intel, Qualcomm, ARM e SD Association cortaram laços com a empresa por solicitação dos EUA.

Ren Zhengfei, fundador da Huawei, diz que protestará se a China lançar uma retaliação contra a Apple 1

A lista negra de comércio do governo dos EUA contra a Huawei ocorre em devido às crescentes pressões entre os EUA e a China. A repressão dos EUA levou alguns a ponderar se a China reagiria com as suas próprias sanções contra as empresas de tecnologia dos EUA, como a Apple. No entanto, o fundador da Huawei, Ren Zhengfei, revelou numa entrevista à Bloomberg que discorda totalmente de um boicote chinês contra a Apple, referindo-se à organização baseada em Cupertino como o seu "professor".

Ren Zhengfei dá "chapada de luva branca" 

“Isso não vai acontecer. E, se isso acontecer, serei o primeiro a protestar ”, afirmou Ren. “A Apple é minha professora, está na liderança. Como estudante, por que ir contra o meu professor? Nunca ”, acrescentou ele.

Ren Zhengfei, fundador da Huawei, diz que protestará se a China lançar uma retaliação contra a Apple 2

No entanto, Ren admitiu que o boicote dos EUA teve algum impacto na liderança da Huawei com o 5G, mas insistiu que a empresa seria capaz de apresentar soluções para esclarecer e resolver a questão. Ele não divulgou nenhum cronograma para que essas soluções entrassem em vigor.

Não obstante os comentários de Ren, acreditamos que a China está a trabalhar no seu próprio conjunto de boicotes que seriam aplicados à empresas dos EUA, mas não podemos dizer se isso resolverá alguma coisa. Deixem-nos saber o que pensam na secção de comentários.

(fonte)

 

Este Website usa cookies para providenciar uma melhor experiência. Pode recusar se desejar. Aceitar Saber Mais