Android Geek
O maior site de Android em Português

OnePlus acusada de fazer batota nos benchmarks do OnePlus 5

O OnePlus 5 anda nas bocas do mundo nos dias que correm, mas desta vez não é pelos melhores motivos. O pessoal do XDA Developers afirma que a companhia chinesa anda novamente a manipular resultados de testes de benchmark de um seu topo de gama, neste caso do OnePlus 5. O XDA vai mais longe na acusação e refere ainda que a OnePlus o está a fazer de forma consciente.

Estes são alguns dos principais concorrentes do OnePlus 5:

É importante relembrar que não é a primeira vez que a jovem fabricante chinesa é acusada de tal coisa. No inicio do ano, a OnePlus juntamente com a Meizu foram apanhadas a fazer batota nos testes de benchmarking dos seus aparelhos de topo.

OnePlus-5

Desta vez os aparelhos em causa são os enviados para blogs de tecnologia para serem analisados. Alegadamente estas unidades do OnePlus 5 enganam as apps de bechmarking mantendo o CPU a correr na frequência máxima o tempo todo. Assim, sempre que o telefone detecta uma aplicação de bechmark a correr, mantém a velocidade do processador no máximo até o teste acabar e, desse modo consegue resultados mais elevados.

Ao contrário das vezes anteriores, em que os resultados finais não eram, em média, muito superiores, com o OnePlus 5 o mecanismo de "batota" faz com que a sua performance seja notoriamente superior nos benchmarks de aplicações como o AnTuTu, Androbench, Geekbench 4, GFXBench, Quadrant, Nenamark 2, e Vellamo.

A reação da OnePlus não se fez esperar e Car Pei veio a público (através do Reddit) justificar a medida por parte da marca, afirmando que o OnePlus 5 trata as aplicações de benchmark como se de um jogo/app exigente se tratasse, do ponto de vista de recursos.

"We have made it so that when running benchmark apps, the phone performs the same as when running resource intensive apps such as 3D games. We also fully activate our chipset in other parts of OxygenOS, for instance when launching apps to make the launch experience faster and smoother.

We are not making it easier for the chipset to perform, for instance by changing to a lower resolution when detecting a benchmark app. We are not changing the performance of our chipset, for instance by overclocking it.

When users run benchmark apps, which I agree aren't a useful proxy for real life performance, we believe that they want to see the full potential of their device without interference from tampering. That's what we've unlocked.

Every OEM has proprietary performance profiles for their devices, I appreciate that we have a tech enthusiastic following, but feel free to have a look around. 🙂"

Traduzindo:

"Fizemos com que, quando corre aplicações de benchmark, o telefone actue como quando corre aplicações mais exigentes como jogos 3D. Nós também activamos o chipset na sua plenitude em outras partes do OxygenOS, por exemplo ao abrir aplicações para fazer que o seu lançamento seja mais rápido e suave.

Não estamos a facilitar a performance do chipset, por exemplo baixando a resolução do ecrã quando uma aplicação de bechmark é detectada. Não estamos a alterar a performance do chipset, por exemplo, através de overclocking.

Quando os utilizadores correm aplicações de benchmark, que concordo não serem uma aproximação útil da performance na vida real, acreditamos que querem ver todo o potencial do seu aparelho sem interferência. Foi isso que desbloqueamos."

E tu, o que achas da atitude da OnePlus? Pode ser considerado batota?

Partilhem com os vossos amigos e ajudem este projecto em Português.

Obrigado pela visita!

Este Website usa cookies para providenciar uma melhor experiência. Pode recusar se desejar. Aceitar Saber Mais

Partilhem com os vossos amigos e ajudem este projecto em Português.

Obrigado pela visita!
close-link