Android Geek
O maior site de Android em Português

A MediaTek vai ter a vida complicada na faixa intermédia

Naturalmente, os componentes internos são outro grande diferencial, e o processador é um dos mais importantes. sabem quem fez o que dá vida ao seu smartphone?

Embora os smartphones pareçam ser cada vez mais todos os dias (e são ) , o mercado é composto por terminais muito diferentes, fabricados em diferentes materiais, com diferentes tamanhos e preços, com uma ou até 5 lentes, e até mesmo com sistemas deslizantes e câmaras “pop-up”.

A MediaTek vai ter a vida complicada na faixa intermédia 1

Naturalmente, os componentes internos são outro grande diferencial, e o processador é um dos mais importantes. sabem quem fez o que dá vida ao seu smartphone?

Podemos encontrar várias empresas com processadores no mundo Android, mas a MediaTek é uma das veteranas.

A empresa asiática destina a maioria das suas criações a terminais nas faixas média e baixa e terá um ano muito complicado em 2019. Um gigante como a Qualcomm, que permanece no topo, será quase impossível de bater, e fabricantes como a Huawei estão fortes com Chipsets que melhoraram muito. Quais são as melhores características de cada um?

Os principais pontos fortes da MediaTek

Os processadores da fabricante chinesa MediaTek são encontrados num grande número de terminais, na maioria dos casos pertencentes a empresas do mesmo país. Porém, a maioria dos equipamentos na faixa intermédia têm processadores Qualcomm, uma empresa americana que conquistou a confiança dos fabricantes. Por outro lado, temos empresas como a Huawei que com as suas próprias alternativas, nomeadamente o Kirin, conseguiu marcar posição não só na faixa média, mas também na faixa alta.

Como podem ver, a MediaTek terá que enfrentar muita concorrência durante este ano de 2019. Quais são os processadores com os quais pretendem criar espaço num campo de batalha como é a gama média do Android?

O Helio P60 e o Helio P22 são um bom exemplo.

  • Helio P60: O processador da empresa chinesa consiste em 8 núcleos, 4 deles ARM Cortex A73 a 2 GHz, os restantes 4 ARM Cortex A53, também a 2 GHz. É fabricado com duas tecnologias diferentes, 12 e 16 nanômetros, e visa trazer a inteligência artificial para os dispositivos em que está colocado, graças à plataforma que chamaram NeuroPilot.
  • Helio P22: Este P22 também é direccionado para inteligência artificial, com uma construção de 12 nanômetros e dois núcleos de 4 núcleos Cortex A53 a 2GHz cada.

Ajuda-nos a chegar mais longe, partilha com os teus amigos

Obrigado pela visita!

Este Website usa cookies para providenciar uma melhor experiência. Pode recusar se desejar. Aceitar Saber Mais

Ajuda-nos a chegar mais longe, partilha com os teus amigos

Obrigado pela visita!
close-link