Android Geek
O maior site de Android em Português

iQiyi a Netflix da China vai expandir-se ao ocidente

A iQiyi conseguiu sobreviver ao seu IPO, realizado há poucos meses. apesar das dificuldades de produzir conteúdo original na República Popular da China, com agora possível expansão para o ocidente.

iQiyi
Série na página inicial da iQiyi: o "Netflix da China" já está a planear sua expansão para o Ocidente (iQiyi/Reprodução)

Cada vez mais é mais comum vermos pequenos e grandes estúdios a produzirem mais conteúdo original, numa era em que o consumo televisivo por cabo encontra-se a cair. Empresas como a Amazon, HBO e Netflix são os principais culpados por esse decline. Os seus sucessos têm inclusive criado interesse, fazendo com que outros tenham aderido à corrida por conteúdo digital, no entanto temos nos esquecido de falar de produtoras oriundas do oriente, a iQiyi, uma espécie de “Netflix da China”, tem números fantásticos de visualizações e já começam a planear uma expansão global, iniciada com sua oferta inicial pública de acções nos Estados Unidos há já quatro meses. E apesar da startup encontrar-se num bom caminho e claro sem concorrência direta no ocidente, tem que conviver com censuras na sua terra natal.

O spin-off que virou série

A iQiyi nasceu em 2010, como um spin-off da gigante chinesa de tecnologia Baidu, e apresenta hoje números dignos de uma série de sucesso. Os relatos referem que plataforma de streaming de conteúdos audiovisuais acumula já 421 milhões de espectador mensais.

No seu catálogo de séries originais, a iQiyi acumula desde as séries Rap of China, Street Dance of China e Hot Blood Dance Crew bem como dramas como por exemplo, Burning Ice e Tientsin Mystic, que  vão entrar para o catálogo da Netflix neste ano. A iQiyi também se associou a entidades conhecidas do cinema, como o Festival de Filmes de Veneza.

Em março deste ano, a iQiyi fez sua estreia na NASDAQ, o mercado de acções americano. A plataforma de streaming levantou 2,25 mil milhões de dólares, com 125 milhões de acções vendidas a um preço unitária de 18 dólares. Após um pico de 46,23 dólares por ação, a iQiyi passou este último mês com acções na casa dos 30 dólares(25.70 Euros) – ainda bem acima do seu valor de estreia na bolsa americana.

iQiyi
Yu Gong, fundador e CEO da IQiyi, toca o sino com investidores e funcionários em celebração ao IPO do negócio

Ao mesmo tempo que acumula ganhos financeiros, a iQiyi luta contra a interferência da República Popular da China. As suas séries sobre rap têm ganho muitos fãs, mas causaram desconforto diante da proibição de veiculação da cultura hip-hop e de tatuagens na televisão chinesa.

Outras séries da iQiyi, como Evil Minds e The Lost Tomb, foram censuradas. Segundo o ChinaFilmInsider, a china possui desde 2009 um guia que proíbe conteúdos que sejam supersticiosos ou que ofendam a tradição cultural chinesa e proibidos por leis e regulações relacionadas. O que significa, por exemplo, séries que abordam relacionamentos LGBT não podem ser divulgadas.

Os maiores concorrentes da iQiyi são outras spin-offs de gigantes: a Youku, do Alibaba, com 500 milhões de subscritores registados, entre planos gratuitos e pagos; e a Tencent Video, com 137 milhões de visualizações diárias. No oriente a Amazon e o Netflix não têm o mesmo nível de audiências, e não estamos a falar por problemas de capitalização. Com dificuldades regulatórias para entrar na República Popular da China, incluindo a censura por reguladores estatais antes da publicação de cada episódio, a Netflix rendeu se aos encantos da iQiyi e já licenciou algumas das suas séries no ano passado entre elas temos: Black Mirror, Bojack Horseman e Stranger Things.

A China é um mercado importante por razões óbvias, e também por razões óbvias, é um mercado desafiante

Afirmou Robert Roy, vice-presidente de aquisição de conteúdos da Netflix, uma vez que CEO da Netfix, não vê a entrada da gigante no mercado chinês tão cedo, já as empresas chinesas mesmo em tempos de polêmicas entre Donald Trump e Xi Jinping, possuem uma entrada muito mais livre no mercado ocidental e pretendem aproveitar a democracia. No final do ano passado a China criou sua própria aliança para exportação de dramas de televisão para plataformas de média internacionais. O que acham desta aliança entre o ocidente e o oriente, será que irá trazer mais conteúdo original, ou será o iQiyi um spin-off chines do Netflix?

Fonte iqiyi Netflix

Este Website usa cookies para providenciar uma melhor experiência. Pode recusar se desejar. Aceitar Saber Mais