Huawei conquista mais terreno no mercado chinês de smartphones enquanto os envios da Apple diminuem

Segundo um relatório da IDC, as remessas de iPhones da Apple na China caíram 2% no quarto trimestre de 2023, enquanto as remessas da Huawei aumentaram 36,2%. A Huawei agora é o quarto maior fornecedor de smartphones na China, com uma participação de mercado de 13,9%. A competição intensa dos concorrentes locais, liderados pela Huawei, representa um desafio para a Apple.

A IDC, uma agência de pesquisa de mercado autoritária, lançou o seu mais recente relatório sobre o mercado chinês no quarto trimestre de 2023. De acordo com o relatório, as remessas do iPhone da Apple na China caíram 2% no quarto trimestre de 2023, enquanto as remessas da Huawei aumentaram 36,2% no mesmo período. Este crescimento posicionou a Huawei como o quarto maior fornecedor de smartphones na China. A marca chinesa agora detém uma participação de mercado de 13,9%, em comparação com os 10,3% no mesmo período do ano anterior. O mercado chinês de telefones móveis é o terceiro maior para a Apple, e a empresa leva a sério essa fatia do mercado. No entanto, a intensificação da concorrência dos concorrentes locais, liderados pela Huawei, não é uma barreira fácil de superar.

Huawei conquista mais terreno no mercado chinês de smartphones enquanto os envios da Apple diminuem 1

Em escala global, Statista, Counterpoint Research e IDC concordam que Apple e Samsung são os dois principais players no mercado. A Apple manteve a liderança em termos de participação de mercado em 2023. Outros grandes players incluem Xiaomi, Huawei, Oppo e Vivo. O mercado é altamente competitivo, com empresas a disputar participação de mercado por meio de ofertas agressivas de troca. Existem também muitos planos de financiamento sem juros e dispositivos competitivos na faixa de preço mais baixa do segmento premium. O mercado global de smartphones cresceu 19% em relação ao ano anterior, mas caiu 7% em relação ao trimestre anterior, com o envio de 323 milhões de unidades, liderado pela Samsung.

Crescimento e a posição da Huawei no mercado

A Huawei experimentou um significativo ressurgimento no mercado chinês de smartphones, superando os desafios impostos pelas sanções dos EUA. O crescimento substancial nas remessas consolidou sua posição como um grande player no mercado chinês. O sucesso da Huawei pode ser atribuído aos seus novos lançamentos de produtos e à crescente procura pelos seus smartphones 5G.

Huawei conquista mais terreno no mercado chinês de smartphones enquanto os envios da Apple diminuem 2

Em 2020, a Counterpoint Research informou que a Huawei era a líder absoluta no mercado chinês de smartphones. No primeiro trimestre de 2020, a sua participação de mercado cresceu para 36%, atingindo um recorde. A empresa também capturou uma enorme participação de 60% no mercado de smartphones 5G e alcançou sua maior participação na China, capturando 46% das vendas.

No entanto, nos dois anos seguintes, a Huawei viu uma queda significativa em seu desempenho de mercado devido à proibição dos EUA. Não desistindo, no terceiro trimestre de 2023, as vendas de smartphones da Huawei na China dispararam, com um aumento de 37% em relação ao ano anterior. Isso ajudou a empresa a reduzir a lacuna de participação de mercado com as principais marcas, como a Apple. O crescimento da empresa foi atribuído ao sucesso de seus novos smartphones, como o Mate 60 Pro, que contribuiu para seu forte desempenho de vendas.

Em outubro de 2023, a Huawei e a Xiaomi lideraram um aumento de dois dígitos no mercado de telefones na China, com a Huawei melhorando em 83%. O crescimento das vendas de smartphones da Huawei na China superou o da Apple, tornando a empresa a fabricante de smartphones de crescimento mais rápido na China no terceiro trimestre de 2023, de acordo com a Counterpoint Research. Este crescimento foi especialmente notável no segmento de smartphones 5G, onde a Huawei deu passos significativos.

Desempenho da Apple na China

A queda nas remessas de smartphones da Apple na China reflete a crescente concorrência de jogadores locais e o impacto das restrições governamentais ao uso de dispositivos da Apple. Apesar de oferecer descontos substanciais, a Apple enfrentou uma diminuição de 2,1% em suas remessas no último trimestre de 2023. Esta queda levantou preocupações sobre a posição da empresa em um de seus mercados-chave.

A Apple não ficou satisfeita com seu relatório financeiro na Grande China. Os executivos da empresa não deixaram de expressar abertamente a sua insatisfação com o desempenho. O diretor financeiro da Apple, Luca Maestri, afirmou que a empresa não está satisfeita com a queda na receita na China. No entanto, ele afirma que o mercado chinês contém grandes oportunidades a longo prazo.

Huawei conquista mais terreno no mercado chinês de smartphones enquanto os envios da Apple diminuem 3

Naturalmente, a acentuada queda na receita na Grande China se deve principalmente às fracas vendas do iPhone. Nesse sentido, o CEO da Apple, Tim Cook, reiterou em uma entrevista que não é que o iPhone seja difícil de vender. Ele disse que o desempenho do iPhone na China ainda é excelente, mas a empresa pode fazer mais. Ele mostrou confiança de que a Apple irá recuperar da leve queda. Cook também reiterou que o iPhone ocupa quatro das seis principais posições de vendas na China. A queda na receita não se deve à perda de popularidade do iPhone, mas reflete principalmente problemas económicos gerais.

Cook disse que, levando em consideração os fatores de taxa de câmbio, o impacto geral da queda de 13% ano a ano na Grande China para a empresa se tornará um “dígito médio”. Cook acrescentou:

“A China sempre foi o mercado de smartphones mais competitivo do mundo, e isso não mudou.”

Dinâmica do mercado da China

O mercado chinês de telefones móveis é um cenário dinâmico e altamente competitivo, com mais de 285 milhões de remessas de smartphones em 2022. Marcas caseiras como Huawei, Xiaomi, Oppo e Vivo estabeleceram fortes posições por meio da sua reputação de marca, extensas redes de distribuição e estratégias de preços competitivas. Essas marcas devem continuar dominando o mercado, especialmente nos segmentos de médio e baixo custo. Marcas internacionais como Apple e Samsung também têm uma presença significativa no segmento premium. O mercado é altamente competitivo, impulsionado pela evolução das preferências do consumidor, avanços tecnológicos e intensa concorrência entre marcas domésticas e internacionais.

O mercado de smartphones na China pode ser segmentado com base na faixa de preço, posicionamento da marca, tamanho da tela e capacidades da câmera. Os consumidores chineses são altamente conhecedores de tecnologia e dão grande foco às características, design e custo-benefício dos smartphones. O mercado também é influenciado por fatores como recursos localizados, integração de ecossistemas e a exploração do mercado rural inexplorado.

A Huawei manteve sua liderança de mercado com uma participação de 45% no terceiro trimestre de 2022, e os smartphones 5G da empresa receberam feedback positivo do mercado, colocando-a no topo da lista de modelos mais vendidos na China. Apesar do ambiente desafiador e da procura do consumidor lenta, Huawei e Apple foram os únicos fornecedores com crescimento positivo ano a ano no ranking dos cinco principais, indicando a intensa rivalidade e competição no mercado.

Conclusão

O mais recente relatório da IDC sobre o mercado chinês de smartphones destaca as fortunas contrastantes de Apple e Huawei no quarto trimestre de 2023. Enquanto a Apple enfrentou uma queda de 2% nas remessas do iPhone, a Huawei experimentou um notável crescimento de 36,2%, consolidando sua posição com uma participação de mercado de 13,9%. O ressurgimento da Huawei, impulsionado pelos novos lançamentos de produtos e pela crescente demanda por seus smartphones 5G, destaca sua resiliência apesar de desafios passados.

A dinâmica do mercado de telefones móveis na China continua a evoluir, com uma competição intensa entre marcas domésticas e internacionais. Os jogadores domésticos como Huawei, Xiaomi, Oppo e Vivo dominam por meio da reputação da marca e preços competitivos, enquanto Apple e Samsung mantêm presença no segmento premium. A competitividade do mercado reflete a ênfase dos consumidores em características, design e custo-benefício, impulsionando a inovação e adaptação entre os fabricantes.

Para a Apple, a queda nas remessas de smartphones na China sinaliza a necessidade de navegar no cenário competitivo e atender às preferências em constante evolução dos consumidores. Apesar dos desafios, o otimismo de Tim Cook sobre as oportunidades de longo prazo na China destaca o comprometimento da Apple com o mercado. À medida que o crescimento da Huawei remodela o cenário competitivo, fabricantes caseiros e internacionais devem inovar e adaptar-se para capturar oportunidades neste mercado dinâmico.

Fonte

Leiam as últimas notícias do mundo da tecnologia no Google News , Facebook  e Twitter e também no nosso Grupo de Telegram
Todos os dias vos trazemos dezenas de notícias sobre o mundo Android em Português. Sigam-nos no Google Notícias. Cliquem aqui e depois em Seguir. Obrigado!