Android Geek
O maior site de Android em Português

Facebook despede funcionário que usava acesso privilegiado para perseguir mulheres

O empregado supostamente gabava-se de ser um "stalker profissional".

O Facebook despediu um engenheiro de segurança que supostamente tirou proveito da sua posição para aceder a informações que usou para perseguir mulheres online, confirmou a gigante das redes sociais à NBC News.

"Estamos a investigar isso com urgência", disse Alex Stamos, diretor de segurança do Facebook, em comunicado à NBC News.

Facebook envolvido em mais um caso de falha de privacidade

"É importante que as informações das pessoas sejam mantidas seguras e privadas quando elas usam o Facebook", disse ele. "É por isso que temos controlos rigorosos de políticas e restrições técnicas para que os funcionários acedam apenas aos dados de que precisam para realizar o seu trabalho - por exemplo, corrigir bugs, resolver problemas de atendimento ao cliente ou responder a solicitações legais válidas. Os funcionários que abusarem desses controlos serão despedidos. "

A alegação surgiu num tweet, no passado domingo, por Jackie Stokes, uma consultora de segurança cibernética, que alegou ter recebido cópias de uma conversa em texto na aplicação de namoro Tinder que mostrou que "um engenheiro de segurança atualmente empregado no Facebook provavelmente está a usar acesso privilegiado para perseguir mulheres online".

Stokes disse que ela determinou que a pessoa provavelmente estava empregada no Facebook, cruzando os seus perfis online. Ela também acrescentou que não foi alvo de qualquer invasão de privacidade por parte dessa pessoa.

A NBC News não recebeu nem verificou as mensagens de chat mencionadas por Stokes, mas um print screen de uma mensagem de texto que ela adicionou ao Twitter mostra um participante a dizer que as suas responsabilidades de trabalho envolviam ser "mais do que" um analista de segurança. O utilizador disse que seu papel incluía tentar "descobrir quem são os hackers na vida real", ou em outras palavras, ser um "stalker profissional".

 "Eu tenho que dizer que é difícil de encontrar", acrescentou o utilizador, "lol".

Depois de receber a notícia da demissão do funcionário, Stokes agradeceu aos numerosos funcionários do Facebook que ela disse terem entrado em contacto pessoalmente com ela para oferecer assistência.

Tudo está bem, quando acaba bem

"Estou satisfeito que uma investigação tenha sido conduzida e uma ação apropriada tenha sido tomada para melhorar a confiança que os utilizadores precisam de ter nas plataformas de rede social para viver as suas vidas de forma completa e agradável", disse Stokes à NBC News. "Todo mundo merece sentir-se seguro, mesmo na Internet".

 

 

Partilhem com os vossos amigos e ajudem este projecto em Português.

Obrigado pela visita!

Este Website usa cookies para providenciar uma melhor experiência. Pode recusar se desejar. Aceitar Saber Mais

Partilhem com os vossos amigos e ajudem este projecto em Português.

Obrigado pela visita!
close-link