Android Geek
O maior site de Android em Português

Como calibrar a bateria do seu smartphone Android, passo a passo

Ao longo dos anos tem havido uma longa dicussaão sobre as baterias de smartphones, mas ainda hoje há dúvidas sobre quais são oa melhores maneiras de fazer carregar os equipamentos e que causas afetam a degradação da bateria ou não, e quais das recomendações mais comuns realmente ajudam a economizar energia ou quais delas são simples mitos. Felizmente, pouco a pouco, temos informações cada vez mais claras sobre a fonte de energia que dá vida aos nossos terminais. Um dos procedimentos mais comuns, que provavelmente mais do que um de vocês já ouviu falar em algum momento, é a calibração da bateria.

Ao longo dos anos tem havido uma longa dicussaão sobre as baterias de smartphones, mas ainda hoje há dúvidas sobre quais são oa melhores maneiras de fazer carregar os equipamentos e que causas afetam a degradação da bateria ou não, e quais das recomendações mais comuns realmente ajudam a economizar energia ou quais delas são simples mitos. Felizmente, pouco a pouco, temos informações cada vez mais claras sobre a fonte de energia que dá vida aos nossos terminais.

Um dos procedimentos mais comuns, que provavelmente mais do que um de vocês já ouviu falar em algum momento, é a calibração da bateria. Mas este processo é realmente necessário? E se sim, Quais são as etapas a seguir para calibrar a bateria do smartphone? Neste guia, a nossa intenção é pôr fim a todas as dúvidas sobre o assunto, e assim eliminar os mitos que existem sobre se a calibração das baterias é necessária, ou se pode ser contraproducente e prejudicial.

Qual é a utilidade de calibrar a bateria e com que frequência o utilizador precisam fazer isso?

 

Praticamente todos os smartphones lançados no mercado nas últimas duas décadas incorporam baterias de iões de lítio. No entanto, foi no ano de 1990, quando esta tecnologia foi desenvolvida, embora passasse por diferentes mudanças e evoluções ao longo dos anos,  passou a ser utilizada em dispositivos presentes mercado de forma generalizada.

No caso dos smartphones, apesar de usarem baterias baseadas nessa mesma tecnologia, especialistas na área como a BatteryUnivesity consideram que estes dispositivos integram "Baterias inteligentes", que de alguma forma são capazes de se comunicar com o próprio dispositivo.

O problema é que ao desenhar e construir fontes de energia, os engenheiros assumem erroneamente que as baterias manterão um óptimo funcionamento durante toda sua vida útil. Isso, infelizmente, não é assim e, de facto, a degradação das baterias é um processo impossível de evitar e, na maioria dos casos, irreversível.

Bateria no Android

A degradação e a passagem do tempo afetam não apenas a própria autonomia da bateria, mas também podem afetar a precisão com a qual o nível restante é medido. Isso faz com que um problema muito comum em smartphones modernos, seja que o sistema operativo indica um nível de bateria errado, o que pode acabar por ser traduzido em outros problemas mais sérios como o smartphone se desligar quando ainda há 20% de bateria.

O que realmente acontece neste último caso, é que o nível real da bateria não corresponde ao indicado pelo sistema operativo, uma vez que a passagem do tempo tem acentuado a margem de erro ao ponto de o software não ter uma medição precisa da bateria. Isso, em parte, é culpa do utilizador, uma vez que, em geral, as "baterias inteligentes" são calibradas autonomamente através de ciclos completos e pontuais de carga e descarga, mas muitos utilizadores raramente executam esse processo - provavelmente porque entre as muitas alegações sobre baterias está a que diz que descarregar completamente a bateria pode danificá-la. É precisamente nestes casos, que o precisam calibrar as baterias manualmente.

Contudo, O que acontece se a calibração não for realizada periodicamente? Embora a operação da bateria em si não deva ser afetada - pelo menos não diretamente - nem seja algo que prejudique a integridade das células, os especialistas dizem que uma bateria mal calibrada significa que as leituras feitas pelo sistema operativo serão menos precisas e, portanto, menos confiáveis.

Com isso em mente, a próxima pergunta que surge naturalmente é com que frequência devemos calibrar a bateria do smartphone. Recorrendo novamente á BatteryUnivesity , a frequência de um processo de calibração a cada 3 meses de uso ou a cada 40 ciclos de carga parcial pode ser uma boa recomendação.

Como calibrar a bateria do seu smartphone Android

Bateria

Agora sim, é hora de calibrar a bateria do smartphone. Embora no Google Play existam aplicações projetadas para executar este processo automaticamente, na verdade, realizar a calibragem é muito mais fácil do que parece, e não precisam de ajuda externa ou ferramentas específicas. Para calibrar a bateria de um smartphone, seja Android ou baseado em qualquer outra plataforma, Só precisam seguir estas etapas:

  1. Descarreguem a bateria do smartphone até que o aviso "Bateria fraca" apareça - de acordo com BatteryUnivesity , não é necessário esgotar a bateria até ao telefone desligar.
  2. Recarreguem a bateria completamente.

Isto é tudo. Nada de deixar o telefone desligado e sem bateria por várias horas, ou ligado ao carregador uma vez que chega a 100%, ou qualquer outro mito relacionado com o processo de calibração da bateria que tem inundado a rede há anos. Ao realizar estes dois passos simples uma vez a cada vários meses, devemos acabar com a principal consequência de uma bateria descalibrada, que nada mais é que leituras erróneas do nível de energia restante pelo sistema operativo.

Se o que o utilizador estavam à procura são formas de estender a autonomia do smartphone ao máximo como se fosse novo de novo, temo que a vossa luta seja contra a a degradação natural. E confrontados com esse problema, não existe uma solução tão simples.

Outras dicas para cuidar da bateria do vosso Android

Bateria Inteligente no Android P DP2

Embora a degradação seja um processo impossível de evitar, existem recomendações que podem servir para cuidar da bateria do smartphone e retardar esse processo. Alguns dos procedimentos mais recomendáveis, e que todos devemos realizar, são os seguintes:

  • Evite temperaturas extremas: acima de tudo o calor. As baterias de íons de lítio são sensíveis tanto à temperatura quanto a mudanças bruscas de temperatura. É melhor manter a bateria - e, portanto, o smartphone - numa temperatura á volta de 15 graus, sempre que possível.
  • Não faça cargas completas: Como eu disse antes, descarregar a bateria completamente pode afectar negativamente o desempenho. Em geral, é melhor manter o nível da bateria sempre entre 30 e 80%.
  • Não se preocupem com a primeira carga: Assim que receberem o vosso smartphone e o tirarem da caixa, aproveitem-no. Quando for hora de carregá-lo, liguem-no sem se preocuparem se é melhor esgotar completamente a bateria ou deixá-la a carregar por várias horas. Este é um mito herdado das baterias de níquel, que exigiam alguns cuidados durante a primeira carga.
  • Utilizem sempre o carregador original: e quando não for possível, pelo menos usem um compatível e certificado, e sob nenhuma circunstância usem um carregador de uma marca não confiável.
  • Se não forem usar o smartphone por um tempo: Nesse caso, é melhor manter o nível da bateria á volta de 40%. Não é recomendado carregar a bateria completamente antes de deixar o dispositivo sem o usar por longos períodos de tempo.
  • Carregar o smartphone durante a noite, sim ou não? deixando de lado o facto de que é melhor executar cargas parciais, e não completas, a verdade é que deixar o telefone ligado à corrente durante a noite não é perigoso. Baterias inteligentes de íons de lítio desativam o fluxo de carga depois de concluída.

 

Fonte

Este Website usa cookies para providenciar uma melhor experiência. Pode recusar se desejar. Aceitar Saber Mais