Android Geek
O maior site de Android em Português

Já se safou. Apple não pode ser forçada a remover o WeChat da sua App Store chinesa

Uma ordem executiva assinada pelo presidente dos EUA, Donald J. Trump, visa impedir que as empresas americanas façam qualquer negócio com a super app chinesa WeChat a partir de meados do próximo mês.

Os números pareciam uma sentença para a Apple. Uma ordem executiva assinada pelo presidente dos EUA, Donald J. Trump, visa impedir que as empresas americanas façam qualquer negócio com a super app chinesa WeChat a partir de meados do próximo mês. Muito utilizadores na China, mais de 1 mil milhões de pessoas confiam no WeChat para navegar, enviar e receber e-mails, fazer compras online, fazer pagamentos móveis e muito mais. 

A proibição do WeChat pode não afetar as empresas dos EUA na China - relatório Fresh afirma que a Apple não pode ser forçada a remover o WeChat de sua App Store chinesa

Vendas do iPhone da Apple não vão ser afetadas na China, afinal

Como o WeChat é tão importante para os chineses, a ordem executiva parecia ser um grande problema para a Apple. Alguns utilizadores de iPhone na China disseram mesmo que, se não conseguissem instalar o WeChat da App Store, o aparelho com iOS da Apple seria inútil para eles. Uma análise publicada no site microblog chinês Weibo fez uma sondagem a 1,2 milhões de pessoas e pediu-lhes que escolhessem entre manter o WeChat ou o iPhone. 95% disseram que prefeririam manter a sua conta do WeChat. O analista da TF International, Ming-Chi Kuo, disse aos clientes que se a Apple fosse forçada a banir o WeChat da App Store, as vendas globais do iPhone cairiam de 25% a 30%, assim como quedas de 15% a 25% para AirPods, iPads e o Apple Watch.

A proibição do WeChat pode não afetar as empresas dos EUA na China

O motivo pelo qual Trump assinou a ordem executiva é o mesmo motivo pelo qual o actual governo está a tentar banir o TikTok nos estados e destruir a Huawei, ZTE e outras empresas chinesas. Qualquer empresa de tecnologia da China é vista como um braço do governo comunista chinês, usando dispositivos e componentes para espionar consumidores e empresas americanas. Nunca houve nenhuma prova destas acusações, pelo que tudo indica que se tratam de motivações comerciais e políticas e não de seguranca.

Existem potencialmente boas notícias para a Apple; a Bloomberg relata que o governo de Trump disse discretamente às empresas americanas, onde se inclui a Apple, que, apesar da ordem executiva, podem fazer negócios com o WeChat na China. Se for verdade, isso significa que a Apple não terá que remover a aplicação da App Store e as vendas do iPhone não serão afetadas na China por causa da popularidade do WeChat. Considerando que 20% das vendas totais da Apple vêm do país e que a maioria dos seus produtos é fabricada na China. Isso poderia deixar a empresa aberta a retaliações por parte do governo chinês; para a Apple, parecia haver muito a perder com a ordem executiva.
Mas se o governo dos EUA não obrigar a Apple a remover o WeChat da App Store na China, está é uma boa notícia para o gigante da tecnologia.

 

Todos os dias vos trazemos dezenas de notícias sobre o mundo Android em Português. Sigam-nos no Google Notícias. Cliquem aqui e depois em Seguir. Obrigado!