Android Geek
O maior site de Android em Português

AMD Smart Access Memory, a sinergia entre CPU e GPU herdada da aquisição da ATi

A casa de Sunnyvale decidiu alavancar a sinergia entre as suas propriedades intelectuais para fazer os utilizadores perceberem como é um sistema inteiramente feito de hardware AMD. Memória de acesso inteligente, que requer uma Placa-mãe da série 500, uma CPU Ryzen 5000 e uma GPU Radeon RX 6000, um recurso que melhora o desempenho do jogo (até 11% de acordo com os testes internos que podem ver abaixo) intervindo nos dados que são transferidos entre a CPU e a GPU, dando ao microprocessador acesso total aos 16 GB de VRAM das novas placas de vídeo, onde até agora acedia a apenas uma fração.

Durante o evento de ontem à noite dedicado à Radeon RX 6000, a AMD mencionou uma mudança importante chamada Memória de acesso inteligente  que pode complicar ainda mais as decisões de compra dos entusiastas não apenas no que diz respeito à placa de vídeo, mas também às CPUs.

A casa de Sunnyvale decidiu alavancar a sinergia entre as suas propriedades intelectuais para fazer os utilizadores perceberem como é um sistema inteiramente feito de hardware AMD.

Memória de acesso inteligente, que requer uma Placa-mãe da série 500, uma CPU Ryzen 5000 e uma GPU Radeon RX 6000, um recurso que melhora o desempenho do jogo (até 11% de acordo com os testes internos que podem ver abaixo) intervindo nos dados que são transferidos entre a CPU e a GPU, dando ao microprocessador acesso total aos 16 GB de VRAM das novas placas de vídeo, onde até agora acedia a apenas uma fração. O papel do Infinity Cache não está claro de momento, outra novidade interessante das novas placas que de alguma forma lembram o grande cache L3 dos CPUs Ryzen, mas a AMD ainda não falou sobre essas inovações em detalhe.

AMD Smart Access Memory, a sinergia entre CPU e GPU herdada da aquisição da ATi 1

Como mencionado, o recurso Smart Access Memory é capaz de reduzir a fragmentação da memória dentro da VRAM, e melhorar o desempenho e a eficiência. Normalmente, a CPU e a GPU têm um limite na transferência de dados e isso requer que os programadores de jogos recorram frequentemente à CPU e à memória do sistema (RAM) quando o conjunto de dados excede um determinado tamanho: portanto, é uma ineficiência que não só diminui o desempenho, mas também tem impacto no consumo.

Relacionado:  Huawei Mate 40 Pro leva a coroa do AI Benchmark

O Smart Access Memory foi criado para remover essa limitação, e melhorar o desempenho graças a uma transferência de dados mais rápida entre a CPU e a GPU e reduzindo o consumo devido ao menor salto de informações entre os vários componentes.

A tecnologia será ativada pela BIOS e para extrair o máximo desta funcionalidade os programadores terão de programar os seus títulos tendo em consideração o Smart Access Memory. Não está claro se há algum tipo de melhoria com jogos não otimizados.

AMD Smart Access Memory, a sinergia entre CPU e GPU herdada da aquisição da ATi 2

A AMD Neste momento - está à espera que a Intel traga placas de vídeo dedicadas ao mercado - a única realidade para ter CPU e GPU de alto desempenho para jogos.

Com o Smart Access Memory a empresa dá um passo adiante nessa visão que começou há muitos, muitos anos atrás, quando decidiu adquirir a ATi Technologies para construir CPU com GPU integrada. É claro que aquela aquisição - que financeiramente foi um banho de sangue - acabou por ser revelar útil depois de quase 15 anos. Hoje a AMD está a colher os frutos, com a presença dos seus próprios Chipsets nas consolas e as sinergias entre múltiplos componentes que podem dar uma vantagem competitiva sobre a concorrência na indústria de PCs.

 

Todos os dias vos trazemos dezenas de notícias sobre o mundo Android em Português. Sigam-nos no Google Notícias. Cliquem aqui e depois em Seguir. Obrigado!