Android Geek
O maior site de Android em Português

Amazon China fecha a sua loja virtual até 18 de julho

A maior loja de e-commerce do mundo Amazon não conseguiu cativar os utilizadores chineses através da sua loja online. A Amazon deixará as suas operações de lojas on-line na China até ao dia 18 de julho. Ela continuará a concentrar-se na venda de produtos e serviços em nuvem no exterior.

 

O aumento da concorrência de rivais domésticos - JD.com e a Tmall do grupo Alibaba , encurralaram a Amazon na China. A maior loja de e-commerce do mundo Amazon não conseguiu cativar os utilizadores chineses através da sua loja online. A Amazon deixará as suas operações de lojas on-line na China até ao dia 18 de julho. Ela continuará a concentrar-se na venda de produtos e serviços em nuvem no exterior.

Amazon

O mercado chinês de comércio electrónico depende maioritariamente de players domésticos que constituem 82% do mercado total. A Tmall do Alibaba e JD.com são os maiores portais de e-commerce on-line da China.

Os compradores não poderão fazer pedidos na loja on-line da Amazon China. Mas podem continuar a desfrutar de equipamentos expedidos das lojas globais da Amazon nos Estados Unidos, Grã-Bretanha, Alemanha e Japão. Dentro dos próximos 90 dias, a Amazon.cn irá lentamente diminuir o suporte para todos os seus revendedores domésticos.

“Estamos a trabalhar de perto com nossos vendedores para garantir uma transição suave e continuar a oferecer a melhor experiência possível ao cliente”

A empresa continuará a investir no país por meio das suas Lojas Globais, Vendas Globais, Kindle-e-readers e outros conteúdos on-line. A Amazon Web Services e outras empresas permanecerão inalteradas com o encerramento do Amazon.cn.

O anúncio repentino da Amazon, fez acções da Alibaba e JD.com subiu 1 por cento.

As empresas multinacionais estão a enfrentar uma forte concorrência dos lojas chineses. Em 2016, o Walmart vendeu toda a sua plataforma de compras on-line para o JD.com na China. Por outro lado, a Xiaomi e Huawei estão  em alta com o aumento de acções no mercado de electrónicos. O Google, Netflix, Facebook, todos estão a lutar para entrar na economia crescente da China para colher alguns benefícios.

Fonte

Este Website usa cookies para providenciar uma melhor experiência. Pode recusar se desejar. Aceitar Saber Mais