Android Geek
O maior site de Android em Português

50% dos jovens acreditam que os seus pais gastam muito tempo com o smartphone

“Deixe o seu smartphone”, “estás preso no ecrã o dia todo”, “O dia todo com o smartphone, não tem nada melhor para fazer?”.

"Deixe o seu smartphone", "estás preso no ecrã o dia todo", "O dia todo com o smartphone, não tem nada melhor para fazer?". Estas frases são apenas três exemplos das repreensões clássicas que todos os pais já disseram aos seus filhos durante toda o história do smartphone. Como as coisas mudaram, certo? O problema de uso abusivo do smartphone Também está a expandir-se em direção aos mais adultos, a tal ponto que os jovens pensam que os seus pais usam muito o smartphone.

Isto é revelado por um estudo publicado pela think tank Search Pew, que inquiriu 750 jovens entre 13 e 17 anos, bem como 1.000 pais de adolescentes. De acordo com o centro de pesquisa, 65% dos pais estão preocupados com a quantidade de tempo que os seus filhos passam a usar os seus smartphones, embora mais de 35% também reconheçam que estão preocupados com o tempo que eles próprios gastam nestas actividade. Da mesma forma, mais de 50% dos jovens entrevistados consideram que, frequentemente,os seus pais estão distraídos com o smartphone enquanto eles tentam conversar com eles.

Da mesma forma, 72% dos pais sentem que os seus filhos estão distraídos com o smartphone enquanto tentam conversar.

Curiosamente, 15% dos pais confessam que tendem a perder a atenção no trabalho porque estão distraídos com o smartphone. Este valor é significativamente superior ao dos adolescentes. Apenas 8% consideram que o smartphone os distrai durante o horário escolar. Porém, quase 75% dos jovens consultam notificações e mensagens nos seus smartphones quando acordam, número que atinge 57% no caso dos pais.

Shutterstock 1084830380

Em termos gerais, 54% dos jovens acreditam que passam muito tempo com o smartphone, 41% acham que investem muito tempo em redes sociais e 36% jogam videogames. Dados mais concretos, as meninas são "um pouco mais propensas que os meninos" a dizer que passam muito tempo nas redes sociais (47% meninas, 35% meninos). Pelo contrário, "as crianças são quatro vezes mais propensas a dizer que passam muito tempo a jogar videogames" (41% meninos, 11% meninas).

A maioria dos pais (86%) acredita saber quanto tempo de ecrã é apropriado para seus filhos.

Felizmente, jovens e pais parecem estar cientes desse problema. De acordo com o estudo, 90% dos adolescentes acreditam que estar ligado demais é um problema do seu grupo demográfico, enquanto seis em cada dez acreditam que é um problema "importante". 52% dizem que reduziram o tempo gasto com o smartphone, enquanto 57% e 58% fizeram o mesmo com redes sociais e videogames, respectivamente. Por outro lado, 63% dos pais que se preocupam com o tempo que os seus filhos passam em frente ao smartphone estabelecem limites de uso, um valor que cai para 47% naqueles pais que não se preocupam muito ou não se preocupam .

No DailyMail entrevistaram Donald Shifrin, professor de pediatria na Faculdade de Medicina de Washington, que afirma que "as crianças nem sempre fazem o que dizemos, mas fazem como nós", signia ficar que se um pai usa muito smartphone, é possível que o jovem também o faça. Em suma, o utilizador tem que usar seu smartphone menos para dar um bom exemplo, especialmente aos mais pequenos.

 

Fonte

Este Website usa cookies para providenciar uma melhor experiência. Pode recusar se desejar. Aceitar Saber Mais