Tudo o que precisam saber sobre o processador Google Tensor do Pixel 6

Esta decisão do Google usar os seus processadores nos smartphones que lança, pode trazer grandes vantagens que não seriam possíveis usando tecnologia de terceiros. Google Tensor, o primeiro processador proprietário do Google Muitos fabricantes optam por usar os seus próprios processadores nos dispositivos em vez de os comprar a outra empresa.

Como já aqui dissemos anteriormente, o Google Tensor é o processador que o Google anunciou nos seus Google Pixel 6 e Google Pixel 6 Pro. É o primeiro processador da empresa e pode ser um antes e um depois para os smartphones do Google.

Esta decisão do Google usar os seus processadores nos smartphones que lança, pode trazer grandes vantagens que não seriam possíveis usando tecnologia de terceiros.

Google Tensor, o primeiro processador proprietário do Google

 

Google Tensor

Muitos fabricantes optam por usar os seus próprios processadores nos dispositivos em vez de os comprar a outra empresa. Não é uma decisão que as marcas tomam levianamente, e isso tem uma explicação. É que, controlar o processo de produção dos seus processadores garante à fabricante que tem exatamente o que precisa para potenciar o seu software, e no caso do Google, além de controlar o design do processador também controla o software.

Google Tensor

Isso dá ao Google e a outras empresas que seguem a mesma prática, como Apple ou Huawei, muitas mais possibilidades quando falamos de inovação. Esta diferenciação é algo que a empresa americana tem claramente refletido nos seus smartphones.

Melhorias de desempenho

O Google afirmou que o Google Tensor foi projetado para fazer todos os componentes trabalharem juntos como um mecanismo bem oleado, o que lhes permitiu melhorar o desempenho em termos de processamento de imagem ou reconhecimento de voz.

Reconhecimento de voz do novo Google Pixel 6

Com este processador, a intenção do Google é melhorar o funcionamento geral, e tornar os seus smartphones mais eficientes e inteligentes. O único dado que a empresa deu a respeito do aumento de desempenho foi compará-lo com o Google Pixel 5, que tinha um processador Qualcomm Snapdragon 765. O Google Tensor teria 80% a mais de velocidade e 370% a mais de potência na unidade de processamento gráfico. Com tecnologia do Google Tensor, o Pixel 6 e o ​​Pixel 6 Pro são o smartphone Pixel mais inteligente e seguro até ao momento.

 

Nesse sentido, o Google certificou-se de o projectar “cuidadosamente para oferecer o nível certo de desempenho, eficiência e segurança”. E é normal que seja superior a este processador Qualcomm, que é de gama média. No seu interior o Google Tensor tem três tipos diferentes de núcleos, integrando 2 Cortex X1 para trabalho pesado, 2 Cortex-A76 com o qual vai realizar tarefas diárias médias e 4 Cortex-A55 para tarefas leves.

Vai gostar de saber:  Xiaomi 12 Pro e Xiaomi 12X Oficiais com especificações muito interessantes

Google Pixel 6 Pro por trás

Todos os núcleos podem funcionar simultaneamente, cada um dedicado às tarefas em que é mais eficiente, o que permite aproveitar ao máximo o potencial, e serem energeticamente eficientes.

Um resultado melhor não significa mais força bruta. A empresa americana investiu na aprendizagem profunda e inteligência artificial dois pontos centrais e, portanto, este processador é capaz de oferecer algumas coisas unicas aos utilizadores, como traduções automáticas ou ditado de voz com maior precisão.

Na verdade, com este processador, o Google criou um modelo de reconhecimento de voz muito mais avançado que é capaz de funcionar por muito tempo sem afetar significativamente o consumo de energia. Isso é algo que também acontece em muitas outras funções que oferece, uma vez que este processador permite oferecer mais utilitários relacionados à aprendizagem de máquina e com inteligência artificial, mas com um consumo de energia insignificante em comparação com os anteriores Google Pixels.

Live Translate do Google

Por outro lado, é um processador que também melhora as seções fotográfica e vídeo, já que o Google melhorou a sua tecnologia de processamento para imagens com Live HDR +, o que se traduz numa maior qualidade final das imagens.

 

O Google Tensor facilita a existência de outras funções como a Borracha mágica, com a qual os utilizadores podem remover objetos das fotos, Supes Res Zoom, que permite um zoom de 20x.

Um processador mais seguro

Arquitectura Google Tensor

Um dos pontos em que a empresa também se esforçou muito nos seus novos smartphones é a segurança, e para isso incluiu o Chipset de segurança Titan M2. Estamos a falar da segunda versão do Chipset Titan que vimos no Google Pixel 3. É um módulo de segurança projetado pelo Google que protege os dados confidenciais que estão armazenados no dispositivo, e adiciona uma camada adicional de segurança. O Google Tensor, pela sua vez, também tem o Tensor Security Core, um núcleo de processador que combina com o Chipset Titan para proteger os dados e, em combinação, podem ser resistentes até mesmo contra ataques eletromagnéticos.

Leiam as últimas notícias do mundo da tecnologia no Google News , Facebook  e Twitter e também no nosso Grupo de Telegram
Todos os dias vos trazemos dezenas de notícias sobre o mundo Android em Português. Sigam-nos no Google Notícias. Cliquem aqui e depois em Seguir. Obrigado!