Quanto tempo vai durar a falta de Chipsets? Previsões do CEO da Qualcomm

Cristiano Amon, president of Qualcomm Incorporated speaks during the Chinese electronics company Xiaomi Corporation's presentation at the Mobile World Congress (MWC), on the eve of the world's biggest mobile fair, on February 24, 2019 in Barcelona. - Phone makers will focus on foldable screens and the introduction of blazing fast 5G wireless networks at the world's biggest mobile fair starting tomorrow in Spain as they try to reverse a decline in sales of smartphones. (Photo by LLUIS GENE / AFP) (Photo credit should read LLUIS GENE/AFP via Getty Images)

Por outro lado a escassez de Chipsets tem afectado também todo o mundo. A cadeia de abastecimento falhou e não há como produzir peças rapidamente e em quantidades suficientes.

Em 2020 aprendemos uma lição importante a globalização é real para o melhor e para o pior. Um Coronavirus que apareceu em Wuhan tornou-se rapidamente um problema global. Por outro lado a escassez de Chipsets tem afectado também todo o mundo.

A cadeia de abastecimento falhou e não há como produzir peças rapidamente e em quantidades suficientes. Todas as empresas sem exceção sentem falta de componentes, a pandemia mudou o mercado e continua a fazê-lo.

Quanto tempo vai durar a falta de Chipsets? Previsões do CEO da Qualcomm

Um dos tópicos mais urgentes para os fabricantes de equipamentos electrónicos é a escassez de Chipsets. Quando será retomada a normalidade?

Quanto tempo vai durar a falta de Chipsets? Previsões do CEO da Qualcomm 1
Cristiano Amon, presidente Qualcomm

 

Cristiano Amon da Qualcomm deu sua previsão. Ele acredita que a situação vai melhorar em breve, e isso é já no ano que vem.

A previsão vai contra as ideias de outros gestores de alto escalão dos maiores fabricantes de produtos de semicondutores. O CEO da Intel, Pat Gelsinger, acredita que a escassez global de Chipsets continuará até 2023. E o chefe da ARM, Simon Segars, está pessimista – a situação não só não vai melhorar, mas vai piorar. A falta do processadores será prolongada e será cada vez mais dolorosa.

Vários fabricantes de smartphones não conseguiram adquirir processadores suficientes da Qualcomm, o que afetou a produção de smartphones.

Quanto tempo vai durar a falta de Chipsets? Previsões do CEO da Qualcomm 2

Devido à escassez, fabricantes passaram a subir preços de processadores

A MediaTek, uma das maiores fornecedoras de Chipsets para smartphones, é obrigada a aumentar os preços dos os seus produtos. O motivo é a escassez global de componentes electrónicos; que atingiu uma ampla variedade de indústrias, onde se inclui computadores, smartphones, servidores e equipamentos de rede, automóveis, etc.

Vai gostar de saber:  Afinal o Samsung Galaxy S21 FE, poderá ser apresentado dia 11 de janeiro

Os dados de que dispomos apontam que o aumento no preço afetou os processadores para smartphones que suportam apenas comunicações de quarta geração (4G / LTE); bem como para dispositivos capazes de operar em redes de quinta geração (5G). No primeiro caso, o crescimento em valor chega a 15%, no segundo 5%.

A MediaTek aumentou também os preços de Chipsets que fornecem suporte para Wi-Fi sem fio.

Conforme observado, o aumento nos preços dos produtos MediaTek é parcialmente devido aos custos de produção mais altos da Taiwan Semiconductor Manufacturing Company (TSMC).

Além disso, de acordo com a Strategy Analytics, a Qualcomm é líder no mercado global de processadores para smartphones; controlando 36% da indústria em termos monetários. Em segundo lugar está a MediaTek com uma participação de cerca de 29%; e a Apple fecha as três primeiras com 21% (dados do segundo trimestre deste ano).

Leiam as últimas notícias do mundo da tecnologia no Google News , Facebook  e Twitter e também no nosso Grupo de Telegram
Todos os dias vos trazemos dezenas de notícias sobre o mundo Android em Português. Sigam-nos no Google Notícias. Cliquem aqui e depois em Seguir. Obrigado!