Pixel Watch vai ter uma variante LTE com co-processador Cortex-M33

O dispositivo só chegará em Outubro, o que é engraçado considerando quantas fugas de informação estão a aparecer. É claro que o Google não é conhecido por fazer um bom trabalho em manter o seu hardware em segredo.

A Google utilizou a conferência I/O para anunciar o Android 13 em toda a sua glória, juntamente com o lançamento do beta 2. No entanto, o evento serviu também para introduzir novo hardware como o Pixel 6a e para revelar teasers acerca da próxima série Pixel Watch e Pixel 7. Temos estado à espera que o Pixel Watch venha a este evento, mas aparentemente, a empresa ainda precisa de tempo e de um evento maior.

O dispositivo só chegará em Outubro, o que é engraçado considerando quantas fugas de informação estão a aparecer. É claro que o Google não é conhecido por fazer um bom trabalho em manter o seu hardware em segredo. O Pixel Watch foi falado para vir com o Exynos 9110, o que é um pouco preocupante dada a idade e processo de fabrico deste chipset (10nm em 2018). No entanto, os relatórios recentes sugerem que vem com um co-processador para eficiência energética.

Google Pixel Watch

Especificações Pixel Watch

Agora, o co-processador é chamado de Cortex-M33 por Max Winebach. A potência do Cortex M33 é medida em micro Watts. Por conseguinte, pode durar muito tempo a funcionar com a rumorosa bateria de 300mAh. Para além do co-processador, o Exynos 9110 será emparelhado com 1,5 GB de RAM e 32 GB de armazenamento interno. Estes dois parâmetros são bastante elevados, já que estamos a falar de um pequeno relógio inteligente. Além disso, as aplicações e características não devem ser tão exigentes.

Google Pixel Watch

Não temos a certeza, claro, pois o Pixel Watch vai introduzir a próxima versão do WearOS. O dispositivo vem, alegadamente, focado no software em vez do hardware. No entanto, apesar do antigo CPU, a RAM e o armazenamento são muito bons para um smartwatch.

Conectividade LTE

O Pixel Watch terá um motor linear para feedback táctil. Proporcionará melhores vibrações do que os relógios com motores de vibração típicos. Até agora, três versões do Pixel Watch foram encontradas na base de dados da FCC. Uma tem apenas conectividade Wi-Fi e Bluetooth (GQF4C). As outras duas têm LTE (GBZ4S e GWT9R). A primeira suporta apenas três bandas – 5, 6, e 26, enquanto que o GWT9R suportará muito mais bandas: 2, 4, 5, 12, 13, 17, 17, 25, 26, 66, e 71. Talvez, o primeiro seja um dispositivo bloqueado a uma operadora que tem apenas as bandas necessárias.

A conectividade móvel tornará este dispositivo mais independente e mais inteligente. Afinal, não precisará de confiar no seu smartphone a toda a hora e será livre de utilizar aplicações que requeiram uma ligação à Internet.

Pixel Watch vai ter uma variante LTE com co-processador Cortex-M33 1

A base de carregamento para o wearable terá também uma ficha USB tipo C. Portanto, quem adquirir um smartphone Pixel poderá utilizar o mesmo carregador que vem com cabos USB-C. De acordo com o relatório, a Compal (não é a empresa que os portugueses estão a pensar) está listada como a ODM do Pixel Watch. Esta empresa tem uma grande experiência na construção de artigos wearables. Curiosamente, tem sido um fabricante chave dos relógios Apple há anos. Portanto, os proprietários do Google Pixel Watch podem esperar a mesma qualidade.

O Google revelou teasers do Pixel Watch como um produto que vem neste “outono”. Assumimos que será lançado juntamente com a série Pixel 7, que poderá aterrar no mês de Outubro como habitualmente.

Leiam as últimas notícias do mundo da tecnologia no Google News , Facebook  e Twitter e também no nosso Grupo de Telegram
Todos os dias vos trazemos dezenas de notícias sobre o mundo Android em Português. Sigam-nos no Google Notícias. Cliquem aqui e depois em Seguir. Obrigado!