Huawei marca presença no MWC 2021 com inovação contínua

Depois do Green Forum da Huawei, que contou com a intervenção subordinada ao tema da sustentabilidade ambiental no campo das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) de David Li, presidente para a Europa Ocidental da empresa, o MWC 2021 deu palco a Ryan Ding.

A maior feira de comunicações do mundo decorre até dia 1 de Julho em Barcelona, um Mobile World Congress (MWC) que este ano adoptou o formato híbrido e reúne os maiores players do sector para discutir as principais tendências e dar a conhecer as inovações tecnológicas que estão a alavancar a economia mundial rumo à transição digital.

Huawei marca presença no MWC 2021 com inovação contínua 1

Depois do Green Forum da Huawei, que contou com a intervenção subordinada ao tema da sustentabilidade ambiental no campo das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) de David Li, presidente para a Europa Ocidental da empresa, o MWC 2021 deu palco a Ryan Ding. No seu discurso intitulado Innovation: Lighting up the Future, o Executive Director e Presidente do Carrier Business Group da Huawei salientou que a inovação nas TIC “está a tornar-se um dos principais impulsionadores da economia global e seu valor está a ultrapassar as fronteiras da indústria de telecomunicações”.

Tendo em conta que “a inovação contínua, em particular no âmbito do 5G, trará mais valor para as operadoras, a indústria de TIC e a economia global, e iluminará o futuro de todas as outras indústrias, as operadoras estão agora a desempenhar um papel muito mais relevante”, disse o presidente para a Europa Ocidental da Huawei. E acrescentou: “actualmente, o principal objetivo das operadoras de 5G passa sobretudo por serem bem sucedidas nos negócios em três mercados-chave – consumidores, lares e indústrias –, através da inovação na implementação das redes, no desenvolvimento de mercado e na optimização da operação.”

De acordo com Ryan Ding, existem três etapas que uma operadora deve cumprir para alcançar o sucesso no mercado 5GtoC, nomeadamente “acelerar a implementação do 5G com um planeamento de rede direcionado e um investimento alicerçado nas áreas de maior valor, nos cenários-chave e nos potenciais utilizadores”. Cumprida esta primeira etapa, explicou o responsável da Huawei, “há que acelerar a migração do utilizador 5G, para então ser possível criar modelos de preços flexíveis e orientados para o valor acrescentado”.

Relacionado:  Novas otimizações de jogos lançadas para a série Huawei P30 (HarmonyOS 2 beta)

E para dar corpo a esta estratégia, a empresa lançou um inovador conjunto de equipamentos e soluções, como é o caso do MIMO Massive, a base station mais leve e poderosa da indústria, e que assegura uma notável redução no consumo de energia. Já o Optical Cross-Connect (OXC) da Huawei, um sub-rack que pode substituir nove gabinetes normalmente necessários, possui capacidade quatro vezes maior, mas consome 95% menos energia, enquanto a solução 5G Super Uplink combina as vantagens de 2,1 GHz e 3,5 GHz para aumentar a capacidade de uplink e a cobertura interna.

"O sucesso da quinta geração móvel requer, em primeiro lugar, uma rede 5G que ofereça a melhor experiência ao utilizador, e é precisamente esse compromisso que orienta a inovação na Huawei", rematou Ryan Ding.

Leiam as últimas notícias do mundo da tecnologia no Google News , Facebook  e Twitter e também no nosso Grupo de Telegram
Todos os dias vos trazemos dezenas de notícias sobre o mundo Android em Português. Sigam-nos no Google Notícias. Cliquem aqui e depois em Seguir. Obrigado!