Ex-funcionário do Applanet recebe 3 anos de liberdade condicional

Há quase 10 anos, uma operação única do FBI derrubou várias lojas piratas de aplicações Android e prendeu os seus operadores. Um dos homens acusados ​​era apenas um adolescente na época, enquanto ele admitiu a violação de direitos autorais, o Tribunal Distrital da Geórgia concordou com uma sentença menor sem prisão.

Assistido pela polícia na França e na Holanda, o FBI mandou abaixo as lojas Android “piratas” Appbucket, Applanet e SnappzMarket no verão de 2012. Durante os anos que se seguiram, várias pessoas ligadas aos sites de aplicações Android foram presas e indiciadas, e de forma lenta mas segura, esses casos estão a chegar finalmente ás suas conclusões.

Esta semana, o Tribunal Distrital do Norte da Geórgia anunciou a condenação de um dos mais jovens acusados. Aaron Buckley tinha quinze anos quando começou a trabalhar na Applanet, e ainda adolescente, quando agentes armados invadiram a sua casa. Os anos foram passando e muita coisa mudou desde então, o advogado de Buckley informou ao tribunal antes de sentenciar. O ex-pirata, que se declarou culpado de conspiração por cometer crimes de violação de direitos autorais, é hoje uma pessoa completamente diferente.

Ex funcionário do Applanet recebe 3 anos de liberdade condicional image

Semelhante a muitas pessoas que têm um encontro com a lei, a vida nem sempre foi fácil para ele. Os computadores ofereciam um bom refugio, mas também arrastaram Buckley para os apuros, algo que ele lamenta profundamente. Após a acusação, as coisas começaram a mudar. O operador da Applanet retomou à sua vida, longe do computador, e também se envolveu no trabalho da comunidade. Entre outras coisas, ele desempenha um papel de liderança numa comunidade de apoio popular para adolescentes LGBT.

Dadas as circunstâncias difíceis da sua vida pessoal, as quais não vamos elaborar, o seu advogado solicitou um afastamento das diretrizes regulares de condenação, para permitir uma punição menor.
Depois de considerar todas as opções, o juiz do Tribunal Distrital Timothy C. Batten concordou com uma sentença menor. Ao contrário de alguns outros operadores de lojas de aplicações piratas, que devem passar anos na prisão, Buckley não será preso.

Em vez disso, o ex-operador da Applanet, que está com vinte e poucos anos, será colocado em liberdade vigiada durante três anos. Além disso, ele deve realizar 20 horas de serviço comunitário e trabalhar para passar no exame de Desenvolvimento Educacional Geral (GED).



Fique atento à nossa página do Facebook e Twitter para obter as notícias em primeira mão.
Através de androidpolice

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.