Android Geek
O maior site de Android em Português

Fabricantes de Chipsets baseados nos EUA estão a fazer lobby para facilitar o levantamento da proibição à Huawei

De acordo com as informações, os fornecedores de Chipsets americanos, onde se incluem a Qualcomm e Intel, estão silenciosamente a pressionar o governo dos EUA para levantar a proibição de vendas para a gigante chinesa de tecnologia.

Depois da Google pedir ao governo dos Estados Unidos para amenizar a proibição da Huawei, agora é a vez dos fabricantes de Chipsets norte-americanos. De acordo com as informações, os fornecedores de Chipsets americanos, onde se incluem a Qualcomm e Intel, estão silenciosamente a pressionar o governo dos EUA para levantar a proibição de vendas para a gigante chinesa de tecnologia. Isso é interessante, dado que a própria Huawei está a evitar o lobby típico do governo, enquanto várias empresas sediadas nos EUA estão a pedir que o governo reduza a proibição da Huawei, que impede que empresas norte-americanas façam negócios com a Huawei. Huawei Uma informação, que cita uma pessoa ciente do desenvolvimento, sugere que executivos dos principais fabricantes de Chipsets dos Estados Unidos, Intel e Xilinx, participaram de uma reunião no final de maio com o Departamento de Comércio para discutir uma resposta ao posicionamento da Huawei na lista negra. Além deles, a Qualcomm também pressionou o Departamento de Comércio sobre o assunto. Eles argumentam que as unidades da Huawei que vendem produtos como smartphones e servidores de computador usam peças disponíveis para todos, e que provavelmente não apresentarão as mesmas preocupações de segurança que os equipamentos de rede 5G da empresa de tecnologia chinesa.

Uma das pessoas conscientes desse desenvolvimento salienta que "isso não é ajudar a Huawei. A Huawei gastou cerca de US $ 70 mil milhões em 2018 para comprar componentes dos quais US $ 11 mil milhões foram para empresas dos EUA, onde se incluem a Qualcomm, Intel e Micron Technology Inc.

O grupo de comércio Semiconductor Industry Association (SIA) reconheceu que organizou consultas com o governo dos EUA em nome das empresas para ajudá-las a cumprir e informar os funcionários sobre o impacto da proibição sobre as empresas. Como foi dito, o próprio gigante chinês fez muito pouco lobby tradicional em Washington sobre o assunto, mas as pessoas conscientes do assunto dizem que considerou enviar uma carta ao Departamento de Comércio. Mesmo depois de um mês de a ser colocado na lista negra, A Huawei não falou com o governo dos Estados Unidos sobre o assunto até agora.

 

Fonte

Este Website usa cookies para providenciar uma melhor experiência. Pode recusar se desejar. Aceitar Saber Mais