Android Geek
O maior site de Android em Português

EUA não largam o osso. ZTE continua a ser uma ameaça

Ambos forneceram empresas de telecomunicações em partes rurais da América equipamentos de rede de baixo preço e a FCC mantém o objectivo de retirar os equipamentos de rede da ZTE e Huawei. Ajit Pai, nomeado por Trump, citou os comentários do Conselheiro de Segurança Nacional Robert O’Brien na semana passada.

Embora muitos conheçam a ZTE e a Huawei por causa dos seus smartphones, na verdade também estão entre os principais fornecedores de equipamentos de rede, a Huawei é o maior fornecedor de equipamentos de rede 5G do mundo.

Ambos forneceram empresas de telecomunicações em partes rurais da América equipamentos de rede de baixo preço e a FCC mantém o objectivo de retirar os equipamentos de rede da ZTE e Huawei. Ajit Pai, nomeado por Trump, citou os comentários do Conselheiro de Segurança Nacional Robert O'Brien na semana passada. O'Brien disse "que instalar equipamentos de empresas chinesas na espinha dorsal das nossas redes 5G poderia dar ao governo comunista chinês backdoors para todos os dados do mundo".

Saliento o poderia.. 

Pai também reiterou que a FCC proibiu o uso de dinheiro do Fundo de Serviço Universal (USF) para compra de equipamentos da ZTE ou Huawei. A USF controla o dinheiro pago pelos consumidores americanos às operadoras americanas a cada trimestre. Esses recursos, que somam cerca de R $ 8,5 mil milhões ao ano, são usados ​​na compra de equipamentos para garantir que todos os estados, mesmo os rurais, tenham acesso à Internet e serviço de comunicações.
Espera-se que mais regras contra compras da Huawei e da ZTE sejam acordadas numa reunião a 10 de dezembro.
Espera-se que mais regras contra compras da Huawei e da ZTE sejam acordadas numa reunião a 10 de dezembro.
A Huawei e ZTE negaram sempre as acusações. No verão passado, a ZTE frisou que fornece aos seus clientes equipamentos seguros e protegidos e que é "clara e totalmente dedicada a cumprir todas as leis aplicáveis ​​nos Estados Unidos". A empresa, tal como a Huawei, foram designadas como ameaças à segurança nacional nos Estados Unidos.
Ao rejeitar as exigências da ZTE de que fosse retirada da lista de ameaças à segurança nacional, Pai da FCC chamou a ação da agência de "mais um passo importante nos esforços contínuos para proteger as comunicações dos Estados Unidos redes contra riscos de segurança. "

 

 

 

 

 

 

Pai aponta que a ZTE não negou que existe uma lei na China que permite ao governo comunista chinês obrigar as empresas no país a espionar os consumidores e empresas dos EUA e partilhar estas informações com o governo chinês. num tweet, Pai escreveu: "De salientar que, a ZTE não contestou que" a lei chinesa impõe controlos legais e extralegais a cidadãos chineses e cidadãos estrangeiros, empresas e organizações que operam na China para permitir acesso, cooperação e apoio ao governo em atividades de recolha de inteligência. "

Ao contrário da ZTE, a Huawei não foi mencionada pela FCC no comunicado de hoje. A Huawei pediu separadamente à FCC para rever a sua designação como uma ameaça à segurança nacional e a FCC está a analisar até 11 de dezembro. A Huawei incluiu mais de 5.000 documentos para apoiar sua versão da história.

Relacionado:  TCL Communication apresenta na CES 2021 a nova linha de smartphones TCL 20 Series que inclui vários modelos 5G

Nos últimos dois anos, a Huawei foi proibida pelos EUA de aceder à sua cadeia de fornecedores nos EUA (onde se inclui o Google) sem uma licença. A Huawei também não pode ter Chipsets FlagShip se forem fabricados com tecnologia americana (a menos que a fundição receba uma licença). Ironicamente, a ZTE teve uma experiência diferente quando foi banida da sua cadeia de fornecedores nos EUA em 2018 por não acatar as punições aplicadas pelo Departamento de Comércio. Mas, em vez de punir a ZTE como fez com a Huawei, o presidente Trump usou um tweet para o Departamento de Comércio pedindo para que deixassem a ZTE em paz. O tweet dizia que Trump estava a trabalhar com o presidente chinês Xi Jinping numa maneira de fazer a ZTE voltar aos negócios.

Quando o presidente eleito Joe Biden ocupar a Casa Branca às 12:01 do dia 20 de janeiro, será interessante ver se veremos alguma mudança nas posições dos Estados Unidos em relação à Huawei e ZTE.

Nota do editor: Prejudicar empresas privadas com base em suposições é algo que ainda parece difícil de acreditar em pleno Séc XXI. Imaginem serem multados sem sair de casa porque o vosso carro PODERIA andar a mais de 120kms/h.

Surreal.

Todos os dias vos trazemos dezenas de notícias sobre o mundo Android em Português. Sigam-nos no Google Notícias. Cliquem aqui e depois em Seguir. Obrigado!