Android Geek
O maior site de Android em Português

Dicas para aumentar a duração da bateria do teu Android (2019)

Antes, com os dumbphones (os telefones sem funções avançadas, ao contrário dos smartphones), bastava uma recarga por semana para poder usá-lo tranquilamente. Agora, a grande maioria dos utilizadores de smartphones estão sempre à procura de uma tomada eléctrica para recarregá-los.

Uma das maiores dúvidas quando se compra um novo smartphone diz respeito à duração da bateria. Antes, com os dumbphones (os telefones sem funções avançadas, ao contrário dos smartphones), bastava uma recarga por semana para poder usá-lo tranquilamente. Agora, a grande maioria dos utilizadores de smartphones estão sempre à procura de uma tomada eléctrica para recarregá-los. Mas o pior é que, com o passar do tempo, o ciclo de vida diminui de maneira inevitável. Mas por que a situação actual é tão precária, e o que podemos fazer?

Antes de tudo, vamos tentar perceber o interior da bateria de um smartphone. Como ocorre com qualquer tipo de bateria, existe um fluxo de eléctrons que sai de um pólo, alimenta o telefone e depois entra no pólo oposto. Além disso, a bateria deve ser ligada a uma tomada com tensão mais elevada para se recarregar.

Se isso funcionasse na prática como na teoria, não existiriam problemas e teríamos baterias que funcionariam por centenas de anos. Infelizmente, há reações e efeitos indesejáveis durante o processo. Ainda não podemos evitá-los, e eles influenciam negativamente e de forma gradual o funcionamento da nossa bateria.

 

Problemas nas baterias de lítio

Antes de começar a listar as coisas que não funcionam, gostaria de reforçar que as baterias de lítio são no momento essenciais para os smartphones e outros dispositivos que requerem pouca potência, pois elas são menores e mais leves do que outras tecnologias. Elas podem ser construídas de modo a preencher eficientemente os espaços, se descarregam pouco quando não utilizadas (5% mensais contra 20-30% de outras) e não sofrem o efeito da memória, portanto não precisamos carregá-la até ao máximo ou esperar que se descarregue para liga-las à tomada novamente. Dito isto, a sua química não é segura como nas outras. De facto, além de requerer diversos sistemas de segurança obrigatórios no seu interior, elas têm pontos fracos e algumas dicas podem optimizar o seu uso.

 

Temperatura

O primeiro problema das baterias de lítio é a temperatura. Todas as baterias sofrem com o calor, mas as de lítio são particularmente sensíveis. Um exemplo é que as pessoas que moram em regiões mais frias têm baterias que duram mais do que quem mora em regiões tórridas.

CONSELHO: a temperatura óptima de uso varia de 20 a 25º. Se quiser conservar uma bateria, é melhor deixá-la num frigorífico com 40% de carga. Confere a seguinte tabela:

 

 

Sobrecarga

Além da temperatura, as nossas baterias sofrem muito com a sobrecarga. Quero dizer que, se carregadas com carregadores não oficiais e com correntes muito elevadas, podem arder ou explodir. Por isso no seu interior existem diversos circuitos de protecção.

CONSELHO: use apenas carregadores oficiais e não deixe o smartphone carregar por mais de 8-10 horas seguidas.

 

Descarga completa

As baterias de lítio podem ser danificadas irremediavelmente se chegarem a 0% de carga. Isso em parte é evitado por um sistema de segurança que desliga o telefone se a bateria chega a 5% (indicando, contudo, que está em 0%), mas ainda assim é perigoso chegar a níveis tão baixos.

CONSELHO: manter uma carga entre 20 e 80%. Como já dito, essas baterias não sofrem com o problema da memória. É inclusive preferível fazer mais recargas que duram menos tempo do que uma apenas uma de maior duração.

 

Deterioração inevitável

O maior problema das baterias de lítio é que, mesmo se não forem utilizadas, elas passam pelo processo de deterioração, perdendo até 20% de carga por ano. Isso quer dizer que, mesmo quando conservadas da melhor maneira, depois de dois anos a sua capacidade será a metade, e com ela o tempo de funcionamento do nosso smartphone.

CONSELHO: não comprar baterias de reserva se não for extremamente necessário (e nesse caso conservá-la seguindo os conselhos precedentes a respeito da temperatura).

 

Conselhos para aumentar a duração

Recapitulando as medidas a serem tomadas ou evitadas para optimizar a duração da sua bateria:

- Carregue por períodos mais curtos e mais vezes a sua bateria;
- Carregue-a num lugar fresco; nunca use o telefone enquanto carrega;
- Não deixe o smartphone a carregar em cima da cama;
- Não deixe a bateria esgotar-se e não a conserves descarregada;
- Desliga o carregador quando o carregamento estiver completo;
- Não tente religar o telefone se ele tiver desligado devido à baixa bateria.

Por fim, lembra-te que após 3 ou 4 anos, talvez antes, a bateria deve ser trocada para que o tempo de uso possa ser novamente satisfatório. Não é incrível que, com todos os progressos alcançados nos smartphones, as baterias sejam ainda tão primitivas?

 

Este Website usa cookies para providenciar uma melhor experiência. Pode recusar se desejar. Aceitar Saber Mais