Android Geek
O maior site de Android em Português

Brasil não vai excluir Huawei da rede 5G

Huawei logo on a skyscraper facade reflecting clouds. Editorial 3D

Os Estados Unidos pediram aos países que rejeitassem a tecnologia da Huawei no desenvolvimento de novas redes de tecnologia móvel, argumentando que isso venha a ser um risco de segurança. A Huawei nega que o seu equipamento seja um risco.

O vice-presidente brasileiro Hamilton Mourao disse na sexta-feira aos jornalistas que o governo não excluirá tecnologia chinesa da suarrede 5G. A empresa de telecomunicações Huawei Technologies Co opera uma rede de telecomunicações móveis de quinta geração (5G) na maior economia da América Latina. Os Estados Unidos pediram aos países que rejeitassem a tecnologia da Huawei no desenvolvimento de novas redes de tecnologia móvel, argumentando que isso venha a ser um risco de segurança. A Huawei nega que o seu equipamento seja um risco.

Huawei logo on a skyscraper facade reflecting clouds. Editorial 3D

O presidente dos EUA, Donald Trump, levantou a questão com o presidente brasileiro Jair Bolsonaro durante uma visita à Casa Branca em março. Mas Mourao, que se reuniu com o presidente-executivo da Huawei, Ren Zhengfei, numa viagem à China no mês passado, afirma que o Brasil não tem planos de proibir a Huawei quando lançar a sua rede 5G no ano que vem. A Huawei já foi bloqueada no mercado dos EUA. A Austrália e a Nova Zelândia também bloquearam a construção de redes 5G com base na tecnologia da Huawei. O governo do Japão disse no ano passado que proibirá as compras governamentais de equipamentos da empresa chinesa.

Mourão disse ao jornal Valor Económico que não há desconfiança da empresa chinesa dentro do governo brasileiro e que o Brasil precisa da tecnologia de telecomunicações que a Huawei tem para oferecer. A operadora de tecnologia móvel TIM Participações SA anunciou este mês que estava a usar a tecnologia da Huawei para realizar testes de rede 5G no sul do Brasil. A Huawei também relançou os seus negócios de smartphones no Brasil recentemente, após uma falsa partida em 2014, e agora planeia fabricar telefones no país. A empresa disse na sexta-feira que assume a liderança no mercado global de 5G e garantiu 46 contratos comerciais em 30 países.

 

Este Website usa cookies para providenciar uma melhor experiência. Pode recusar se desejar. Aceitar Saber Mais