Android Geek
O maior site de Android em Português

Atenção às burlas e às extorsões através dos smartphones

Aumentou o crime com recurso a smartphone ligados à Internet, em que hackers e burlões acedem a dados pessoais.

Segundo Carlos Cabreiro, Coordenador da secção de crime informático da directoria de Lisboa da PJ, a Polícia Judiciária de Lisboa tem mais de 500 inquéritos por acessos a sistemas.
Através dos smartphones, usados em Portugal por mais de cinco milhões de consumidores, também é possível aceder a contas bancárias, passwords e usernames de contas ou páginas privadas e, assim, exigir entrega de dinheiro para não divulgar fotografias ou esses dados.

No total, em 2015 a PJ de Lisboa registou 858 inquéritos abertos por crimes informáticos, dos quais 500 são por ciberataques, 250 por pedofilia na Internet, 70 por extorsão sexual e 30 por crimes praticados contra as pessoas na Internet (injúrias, difamação, entre outros).

“Os dispositivos móveis são vulneráveis a intrusões”. Há que estar atento a mensagens de correio electrónico e páginas web falsas e apostar numa cultura de utilização responsável e ter uma preocupação acrescida com a segurança informática”, alerta Carlos Cabreiro.

Mas basta uma palavra passe para cometer um crime: “começam com um furto de identidade nas redes sociais […] A partir daí podem utilizar a sua página no Facebook e enviar mensagens aos seus amigos, como se fosse você a escrevê-las. E apelar em mensagens privadas no chat, por exemplo, a que lhe enviem dinheiro”.

“Tem acontecido muito este tipo de intrusão no Facebook para burlar”, refere Carlos Cabreiro.

Este Website usa cookies para providenciar uma melhor experiência. Pode recusar se desejar. Aceitar Saber Mais