Android Geek
O maior site de Android em Português

Apple Watch salva a vida de um homem no Reino Unido, ao detectar a sua frequência cardíaca baixa

Aqui está mais uma história interessante sobre como o Apple Watch repleto de recursos veio em socorro de um homem. Desta vez, o ecrã de frequência cardíaca fez o seu trabalho.

No início deste ano, o Apple Watch esteve no centro das atenções por um bom motivo. O recurso de "detector de queda"  salvou a vida de um homem quando ele caiu mal no wc,  e ficou inconsciente. Aqui está mais uma história interessante sobre como o Apple Watch repleto de recursos veio em socorro de um homem. Desta vez, o ecrã de frequência cardíaca fez o seu trabalho.

Apple Watch salva a vida de um homem no Reino Unido, ao detectar a sua frequência cardíaca baixa 1
Paul Hutton e o Apple Watch, que lhe salvou a vida

 

A história conta que Paul Hutton, de 48 anos, escritor de tecnologia em Inglaterra, recebeu um aviso de que o seu ritmo cardíaco estava muito baixo, o que o levou a visitar o pronto-socorro. Normalmente, a característica mais comum é a capacidade de detectar quando uma frequência cardíaca é muito alta. Mas há dois anos, a Apple incluiu a capacidade de fazer scan e detectar frequências cardíacas baixas, cujas salvaram a vida do homem. Enquanto em repouso, a frequência cardíaca normal é entre 60 bpm e 100 bpm. No entanto, o smartwatch de Paul alertou-o de que o seu ritmo cardíaco estava a ir para 40 bpm em repouso. No hospital, o médico removeu a cafeína da sua dieta, mas isso não teve efeito, pois o relógio continuou a detectar uma frequência cardíaca baixa.

Quando isso não funcionou, Hutton foi encaminhado para um especialista que o diagnosticou com um problema ventricular. Significa que é um batimento cardíaco irregular que vem depois de um batimento cardíaco regular e impede que o sangue seja bombeado de forma eficaz. Uma cirurgia de ablação cardíaca foi realizada nele. Em termos claros, é um procedimento que queima pequenas áreas do coração, a fim de destruir o tecido do órgão muscular que está causar o problema. Hutton, desde então, recuperou da cirurgia, para a qual ele estava sedado, mas totalmente acordado. Mais uma vez, o Apple Watch provou que a diferença entre a vida e a morte poderá estar no smartwatch.

Além do ritmo cardíaco, o mais recente Apple Watch  4 também vem com um ecrã de eletrocardiograma (ECG) que verifica os ritmos cardíacos anormais, como a fibrilação atrial (Afib). Isso pode levar a coágulos sanguíneos, derrame e insuficiência cardíaca e outros problemas. Este recurso também foi adoptado por outros fabricantes de smartwatch como Samsung, Huami, etc. O Amazfit Verge 2 tem uma versão de ECG, o Galaxy Watch Active 2 tem previsão de lançamento com o mesmo recurso.

 

Fonte

 

Este Website usa cookies para providenciar uma melhor experiência. Pode recusar se desejar. Aceitar Saber Mais