Android Geek
O maior site de Android em Português

8 anos de regime geral: Cidadãos chineses são condenados por usar VPN

aceder à internet global. Entre outros métodos, muitos utilizadores de Internet na China confiam em Redes Privadas Virtuais (VPNs) para contornar ou ultrapassar a “Grande Firewall” da China.

Dois internautas chineses enfrentam punições por fazerem o que cerca de 1% a 3% das pessoas que vivem na China continental fazem todos os dias: aceder à internet global.

Entre outros métodos, muitos utilizadores de Internet na China confiam em Redes Privadas Virtuais (VPNs) para contornar ou ultrapassar a "Grande Firewall" da China.
O sistema de filtragem robusto que bloqueia informações sensíveis e sites estrangeiros da rede doméstica da China.
Embora a utilização de VPN seja permitida em determinados contextos, o vigoroso regime de controlo da Internet da China nos últimos anos tem colocado recursos significativos para impedir que os utilizadores da Internet utilizem estas e outras ferramentas semelhantes.
Em junho de 2017, o governo promulgou uma Lei de Cibersegurança que codificava um conjunto crescente de regras sobre uso da internet e conteúdos.

8 anos de regime geral: Cidadãos chineses são condenados por usar VPN 1

Reforçar as responsabilidades e deveres dos operadores da Internet e exigir o registo do nome real de cada internauta.

A legislação também abordou as VPNs.

Obrigou diretamente a Apple a remover aplicações VPN da sua loja de aplicações na China e parece ter desencadeado várias detenções de indivíduos que vendiam VPNs não licenciados.

A nova lei não aborda nem criminaliza explicitamente a utilização individual de tais tecnologias.
E embora envie um sinal claro sobre que tipos de tecnologia estão fora dos limites, muitos internautas chineses continuam a acreditar que o uso de ferramentas de evasão não lhes trará problemas.

Punição e controlo do Estado

Mas dois novos casos de "castigo administrativo" podem mudar isso.
Em dezembro do ano passado, um residente de Shaoguan foi multado em 1000 RMB (cerca de 163 dólares) por criar e usar uma VPN para aceder à Internet.
A Plataforma de Informação de Segurança Pública de Guangdong publicou um relatório detalhando a sua punição.

8 anos de regime geral: Cidadãos chineses são condenados por usar VPN 2
Zhu Yunfeng, 30 anos, estava a usar o Lantern Pro, uma aplicação móvel e uma ferramenta anti-censura que liga os utilizadores a uma rede descentralizada que pode transmitir o tráfego de utilizadores a qualquer site, independentemente das barreiras de censura.
Incapazes de justificar a punição de Zhu ao abrigo da nova lei de cibersegurança, os funcionários da segurança pública citaram os artigos 6.º e 14.º do "Regulamento Provisório da Administração das Redes Internacionais de Informação informática na República Popular da China".
O artigo 6º estipula que, ao ligarem-se a uma rede internacional na China, todos os dispositivos informáticos devem utilizar as infraestruturas fornecidas pelas telecomunicações licenciadas pelo Estado.
Qualquer indivíduo ou organização que não seja licenciado pelo Estado está proibido de oferecer ou construir canais alternativos de informação para aceder à rede internacional.
Embora o Lanterna seja uma ferramenta de evasão mundialmente conhecida, não tem uma licença emitida pelo Estado na China.
Em 4 de janeiro, um caso semelhante ocorreu em Chongqing, onde Huang Chengcheng foi intimado pela polícia sobre as mesmas acusações que Zhu. Mas as autoridades não divulgaram os detalhes do caso.

Ambos os casos indicam que, hoje, o próprio ato de contornar a internet através de um canal não registado é considerado ilegal.
Muitos internautas questionaram por que razão algumas pessoas podem contornar o GFW, enquanto outras podem ser punidas por fazerem o mesmo.

China cede a fornecedores de VPN

A mais recente repressão da China sobre aqueles que tentam contornar os controlos de censura estatal levou as plataformas de comércio eletrónico a vender redes privadas virtuais ilegais (VPNs).
Cinco sites, incluindo o gigante das compras Alibaba, foram convidados a remover fornecedores que vendem VPNs.
É o mais recente de uma série de medidas do governo chinês para manter um controlo rigoroso sobre o conteúdo. A Apple já tinha sido convidada a remover as aplicações VPN.

O que é uma VPN?

Primeiramente vamos entender o que é uma VPN; uma rede privada virtual (VPN) utiliza servidores no estrangeiro para fornecer uma ligação segura à Internet.
Permite que os utilizadores na China acedam a partes do mundo exterior, como Facebook, Gmail ou YouTube, todos bloqueados no país.

8 anos de regime geral: Cidadãos chineses são condenados por usar VPN 3
O regulador cibernético da China, a Administração Cyberspace da China (CAC), ordenou que os sites realizassem uma "auto-revisão e correção imediatas".
"O CAC ordenou a cinco locais que realizassem imediatamente uma limpeza completa de informações prejudiciais, fechando a correspondente conta ilegal ... e apresentar um relatório de retificação dentro de um prazo", refere o regulador em comunicado.
As autoridades chinesas já removeram as contas populares das redes sociais de celebridades do ar e alargaram as restrições sobre as notícias que podem ser produzidas e distribuídas nas plataformas online.
Além de reprimir dezenas de VPNs locais, as autoridades ordenaram à Apple e a outras lojas de aplicações que removessem aplicações VPN estrangeiras que permitissem aos utilizadores aceder a sites censurados pelo governo chinês.