Android Geek
O maior site de Android em Português

Zuckerberg admite que o Facebook cometeu muitos erros

O CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, finalmente quebrou o silêncio após a notícia de que uma empresa ligada à campanha de Trump em 2016 conseguiu atingir 50 milhões de utilizadores do Facebook, obtendo acesso aos seus perfis sem qualquer permissão.

A empresa, Cambridge Analytica, supostamente recebeu os dados de um professor russo-americano da Universidade de Cambridge (Aleksandr Kogan) que conseguiu obtê-lo prometendo falsamente que usaria os dados somente para pesquisa. O CEO da Cambridge Analytica, Alexander Nix, foi suspenso pela empresa após ser apanhado por uma câmara escondida, ao dizer aos repórteres disfarçados como ele pode prejudicar a reputação de políticos usando "truques sujos". Ele também afirmou ter sido responsável pela vitória de Trump na eleição presidencial dos EUA em 2016.

Ontem, Zuckerberg admitiu que o Facebook cometeu erros. Ele apresentou um plano de três pontos para se certificar que este tipo de situações não voltem a acontecer. O primeiro passo é o lançamento de uma investigação que examinará todas as aplicações com acesso aos dados do utilizador antes que a rede social tivesse reforçado esse acesso em 2014. Em segundo lugar, as aplicações agora ficarão restritas à obtenção do nome, endereço de e-mail e foto do perfil de uma pessoa. Por último, o Facebook vai lançar uma ferramenta que permitirá aos utilizadores ver que aplicações podem aceder aos seus dados, podendo assim obter acesso e impedir que qualquer aplicação que seleccione tenha acesso a informações pessoais.

"Temos a responsabilidade de proteger os seus dados e, se não pudermos, não merecemos atendê-lo. Estou a trabalhar para entender exatamente o que aconteceu e como garantir que isso não aconteça novamente. O bom, a novidade é que as ações mais importantes para evitar que isso aconteça novamente já foi feito há alguns anos. Mas também cometemos erros, há mais a ser feito e precisamos de intensificar e fazer isso ”.

"Essa foi uma quebra de confiança entre Kogan, Cambridge Analytica e Facebook. Mas também foi uma quebra de confiança entre o Facebook e as pessoas que partilham os seus dados connosco e esperam que nós os protejamos. Precisamos de resolver isso." - Mark Zuckerberg, CEO, Facebook

O Facebook está a ser investigado pela FTC para uma possível violação de um decreto de consentimento de 2011 assinado pelo site de rede social. O Decreto afirmou que os utilizadores do Facebook tinham que dar permissão antes de ver os seus dados pessoais usados ​​de qualquer forma. O Facebook supostamente descobriu que os dados estavam a ser usados ​​pela Cambridge Analytica em 2015 e não notificou os utilizadores.

Este Website usa cookies para providenciar uma melhor experiência. Pode recusar se desejar. Aceitar Saber Mais