White Paper da Huawei destaca percurso

Na apresentação do white paper levada a cabo no Forum on Innovation and IP Prospects in 2021 and Beyond, Song Liuping, Chief Legal Officer da Huawei, fez questão de salientar que a Huawei quis desta forma não só “dar a conhecer o historial da inovação empreendida pela empresa nos últimos 30 anos”, assim como o seu “compromisso de longo prazo para com a propriedade industrial, essencialmente fruto do respeito, da protecção e das continuadas contribuições neste campo que sempre nos preocupámos em manter e fortalecer”.

A Huawei lançou um novo white paper sobre inovação e propriedade intelectual, um documento que destaca o percurso da Huawei nestas áreas até 2010, e inclui dados e marcos que assinalam os seus investimentos em Investigação & Desenvolvimento desde a década de 1990.

Na apresentação do white paper levada a cabo no Forum on Innovation and IP Prospects in 2021 and Beyond, Song Liuping, Chief Legal Officer da Huawei, fez questão de salientar que a Huawei quis desta forma não só “dar a conhecer o historial da inovação empreendida pela empresa nos últimos 30 anos”, assim como o seu “compromisso de longo prazo para com a propriedade industrial, essencialmente fruto do respeito, da protecção e das continuadas contribuições neste campo que sempre nos preocupámos em manter e fortalecer”.

Estabelecendo uma cronologia indicativa do papel da Huawei nesta área, importa referir que a multinacional apresentou em 1995 o seu primeiro pedido de patente na China (onde é actualmente a maior detentora de patentes) e nos Estados Unidos da América em 1999. Passado menos de uma década, em 2008 a Organização Mundial de Propriedade Intelectual listou pela primeira vez a Huawei como líder absoluto em termos de número de pedidos de patente ao abrigo do Tratado de Cooperação de Patentes (PCT). Em 2019, a Huawei conquistou o segundo lugar na Europa e a décima posição nos Estados Unidos em termos de número de patentes concedidas.

 

White Paper da Huawei destaca percurso 1

 

Ao afirmar-se como uma das maiores detentoras de patentes à escala mundial – no final de 2020, a Huawei detinha mais de 100 mil patentes ativas em mais de 40 mil famílias de patentes em todo o mundo –, “é inquestionável que a inovação faz parte do nosso ADN e está fortemente enraizada no core business da empresa desde a sua fundação”, destacou Jason Ding, responsável máximo do Intellectual Property Rights Department da Huawei.

Relacionado:  Huawei prepara carregador de smartphone super rápido de 90W

Face a este posicionamento no mercado global, Jason Ding frisou que a Huawei “tem sido o maior contribuidor técnico para os padrões 5G e segue princípios justos, razoáveis ​​e não discriminatórios quando se trata de licenciamento de patentes”, pelo que, acrescentou o responsável pelo Intellectual Property Rights Department da Huawei, a empresa “estima receber cerca de 1,2 a 1,3 mil milhões de dólares em receitas de licenciamento de patentes entre 2019 e 2021”. “Esperamos que a taxa de royalties recentemente anunciada aumente a adoção do 5G, dando aos implementadores desta tecnologia uma estrutura de custos mais transparente que sustentará as suas decisões de investimento no futuro”, rematou Ding.

A Huawei, que anunciará regularmente mais inovações e atividades no âmbito da propriedade intelectual para que o público possa acompanhar e mais bem percepcionar as práticas de inovação da empresa, também lançou um novo micro-site de patentes inserido na sua web page. Com patentes organizadas por diferentes portfólios, o micro-site terá uma actualização constante, de maneira a manter a indústria informada sobre as últimas inovações em curso levadas a cabo pela multinacional.

Leiam as últimas notícias do mundo da tecnologia no Google News , Facebook  e Twitter e também no nosso Grupo de Telegram
Todos os dias vos trazemos dezenas de notícias sobre o mundo Android em Português. Sigam-nos no Google Notícias. Cliquem aqui e depois em Seguir. Obrigado!