Samsung e Apple quase empataram em 2021. 2022 vai tirar as dúvidas

A Samsung e a Apple têm tido uma relação longa e complicada na Europa. Este ano, o seu passeio pelo velho continente quase terminou num empate. No final, a Samsung acabou por ultrapassar a Apple por uma unha negra em termos de quota de mercado.

A Samsung e a Apple têm tido uma relação longa e complicada na Europa. Este ano, o seu passeio pelo velho continente quase terminou num empate. No final, a Samsung acabou por ultrapassar a Apple por uma unha negra em termos de quota de mercado. Mas o que explica estas flutuações? E o que significa isso para o futuro de ambas as empresas? Vamos analisar mais de perto o ano da Samsung e da Apple na Europa.

Enquanto a China, a Índia e os EUA tendem a atrair a maior quantidade de atenção tanto da imprensa como das empresas de análise de mercado por ser o maior mercado mundiail de smartphones, não é preciso ser um especialista da indústria para entender que a Europa é também um campo de batalha muito importante para todos, desde a Samsung e Apple até Xiaomi, Oppo e Huawei.

Curiosamente, o velho continente foi o cenário de uma das batalhas mais acaloradas e mais disputadas pela supremacia em 2021. A Samsung acabou por subir para o topo das classificações tanto durante todo o ano (sem surpresas) como no quarto trimestre (de forma algo inesperada).

Um ano. Três líderes.

A Samsung conseguiu a vitória trimestral mais estreita possível sobre a arqui-rival Apple durante o período de Outubro a Dezembro de 2021, com uma vantagem de 1 por cento de quota de mercado após o gigante tecnológico baseado em Cupertino ter terminado o ano de 2020 com uma vitória semelhante de 30 a 29 por cento no quarto trimestre. Taco a taco.

O que é mais importante destacar é que os medalhistas de ouro e prata aumentaram os seus números em comparação com os três últimos meses de 2020, ao contrário da Xiaomi, que caiu de 17 para 15 por cento de quota e assegurou o terceiro lugar.

Embora isso não fosse suficiente para ameaçar verdadeiramente o número um e dois lugares no pódio, a Xiaomi está definitivamente a aproximar-se dos seus rivais ocidentais na Europa, reduzindo as diferenças para a Samsung e a Apple de 18% e 8% para 12% e 6%, respectivamente, no espaço de apenas 12 meses.

Talvez de forma mais impressionante, a Xiaomi foi, em 2021, o melhor vendedor de smartphones do velho continente… durante cerca de 15 minutos. A Samsung e a Apple superaram-se uma à outra várias vezes ao longo do ano.

 

Samsung and Apple's rollercoaster year in Europe nearly ended in a draw

Finalmente, a Samsung conquistou o primeiro lugar do pódio europeu com relativa facilidade graças ao sucesso inicial da série Galaxy S21, à popularidade constante da gama média Galaxy A, e à procura algo surpreendente do Galaxy Z Flip 3 e Z Fold 3.

Mas a Apple deve estar muito satisfeita com o seu aumento anual de 25%, especialmente num ano em que as vendas totais de smartphones cresceram apenas 8%, representando uma “recuperação parcial” para números inferiores aos volumes pré-pandémicos.

Os campeões do crescimento vêm todos da China

De certa forma, Oppo, Realme, e Vivo são os vencedores do ano, melhorando as suas vendas europeias em 94, 162, e 207 por cento (!!!) respectivamente. Embora todas as empresas tenham sido obviamente afectadas pela escassez global de componentes, estas três marcas (juntamente com a Xiaomi) compensaram esses inconvenientes ao dividir a base de consumidores que a Huawei perdeu.

Samsung and Apple's rollercoaster year in Europe nearly ended in a draw

Depois de estar incrivelmente perto de vencer a Apple em 2019, com mais de 40 milhões de smartphones vendidos na Europa e uma quota de mercado de 19 por cento, a Huawei caiu completamente oito lugares no total e regista uma quota de mercado de menos de 1 por cento em 2021, perdendo quase 90 por cento dos seus negócios na região.

A Counterpoint Research está a apontar a Motorola, Nokia e Honor como prováveis sucessos em 2022, após resultados impressionantes últimos meses.

Samsung and Apple's rollercoaster year in Europe nearly ended in a draw

Xiaomi, esteve sempre a morder os calcanhares da Samsung e da Apple em 2021, terminando o ano com um novo recorde de vendas depois de ter subido 50 por cento em geral desde 2020.

A Motorola, em particular, parece uma estrela em ascensão tanto no panorama europeu como americano de smartphones, graças principalmente a um extenso portfólio de dispositivos de baixo custo com designs premium e especificações interessantes.

Falando do iPhone SE 3, não tão bonito mas poderoso e veloz, espera-se que dê à Apple um “impulso” em 2022. Entretanto, a Samsung só pode “esperar” que a iminente família Galaxy S22 se revele mais popular do que as linhas S21 e S20 dos anos anteriores.

A Samsung conseguiu a vitória trimestral mais estreita possível sobre a arqui-rival Apple durante o período de Outubro a Dezembro de 2021, detendo uma vantagem de 1 por cento de quota de mercado após o gigante tecnológico baseado no Cupertino ter terminado o ano de 2020, com uma vitória de 30-29 por cento, assustadoramente semelhante, no quarto trimestre. Com ambas as empresas a lançarem novos dispositivos em 2022 que irão certamente abanar os seus respectivos mercados, vale a pena especular sobre que empresa vai conseguir convencer os milhões de europeus que estão a ponderar a compra de um smartphone ou tablet.

 

Fique atento ao AndroidGeek para todas as nossas últimas notícias sobre estes dois titãs e quaisquer outros desenvolvimentos importantes sobre a nossa indústria favorita!

Leiam as últimas notícias do mundo da tecnologia no Google News , Facebook  e Twitter e também no nosso Grupo de Telegram
Todos os dias vos trazemos dezenas de notícias sobre o mundo Android em Português. Sigam-nos no Google Notícias. Cliquem aqui e depois em Seguir. Obrigado!