OPPO recebe 12 prémios na CVPR 2021 e tem algoritmo que alimenta a sua Smart Factory

) Durante a conferência, os progressos da OPPO na área da IA foram reconhecidos através da sua participação em sete competições importantes, num total de 12 concursos diferentes.

A OPPO, marca líder em tecnologia, participou recentemente no principal evento anual de Visão Computacional, na CVPR-Computer Vision and Pattern Recognition Conference 2021 (Conferência sobre Visão Computacional e Reconhecimento de Padrões.) Durante a conferência, os progressos da OPPO na área da IA foram reconhecidos através da sua participação em sete competições importantes, num total de 12 concursos diferentes. Estes resultaram num primeiro prémiosete segundos prémios e quatro terceiros prémios, numa demonstração da capacidade tecnológica de topo da empresa e das respetivas inovações revolucionárias em IA.

A equipa que participou na competição da CVPR 2021 em representação da OPPO pertence ao Departamento de Perceção e Interação Inteligente e ao Centro de Investigação da OPPO nos EUA que faz parte do Instituto de Investigação da OPPO. Através da otimização e treino dos algoritmos de IA, o trabalho da equipa continua a fortalecer as competências de IA da OPPO e a capacidade de a sua tecnologia de IA servir melhor todos os seus utilizadores.

OPPO recebe 12 prémios na CVPR 2021 e tem algoritmo que alimenta a sua Smart Factory 1

Eric Guo, Cientista Principal de Perceção Inteligente da OPPO, afirmou: “Estamos muito satisfeitos por ter alcançado novamente resultados notáveis na edição deste ano das competições da CVPR, na sequência da estreia da nossa participação em 2020. No ano passado, ganhámos o primeiro lugar na Competição de Perceção de Super Resolução Extrema com a demonstração de uma tecnologia apta a oferecer maior definição em imagens pouco nítidas e na competição de Localização Visual para Dispositivos Portáteis, que torna mais preciso o posicionamento de fusão. As competições que a OPPO venceu este ano, como o Comportamento Multi-agente, a Cinestesia AVA e a Reconstrução Facial em 3D a partir de Imagens Múltiplas em 2D, abrangem áreas mais complexas e avançadas da visão computacional, incluindo a deteção de comportamento, localização de ações humanas no espaço e no tempo e a deteção facial.”

“Estas tecnologias podem ser utilizadas num vasto conjunto de cenários, como, por exemplo, para a produção, nos nossos lares, escritórios, fotografia, saúde e mobilidade”, acrescentou Eric Guo. “Na OPPO, estamos empenhados em desenvolver a IA de modo a servir as pessoas com maior eficiência, proporcionando aos utilizadores experiências mais inteligentes e convenientes.”

Entre as 11 distinções recebidas, a OPPO obteve três prémios na Competição de Comportamento Multi-agente, que avalia a capacidade de um modelo de IA compreender, definir e prever interações complexas entre agentes inteligentes, como animais e seres humanos. A OPPO conquistou ainda o primeiro prémio na categoria de Aprendizagem de Novos Comportamentos, o segundo prémio em Classificação Clássica e o terceiro prémio em Transferência de Estilo de Anotaçãodistinguindo-se entre os mais de 240 participantes graças às suas capacidades inovadoras de IA. Esta mesma tecnologia está atualmente a desempenhar um papel essencial na fábrica da OPPO, onde os algoritmos ajudam os trabalhadores a reduzir os erros operacionais, especialmente nas fases principais da produção, garantindo a sua segurança pessoal e também a qualidade dos produtos à saída da linha de produção.

Da inteligência computacional à inteligência centrada no ser humano, a OPPO melhora a capacidade de a IA compreender os utilizadores

Fiel à sua visão de “Tecnologia para a Humanidade, Bondade para o Mundo”, a OPPO está a desenvolver capacidades na área da IA centrada no ser humano. Na Competição de Reconstrução Facial em 3D a partir de Imagens Múltiplas em 2D, o algoritmo de IA desenvolvido pela OPPO conseguiu reconstruir formas faciais em 3D com cerca de 1 mm de margem de erro, colocando a marca no segundo lugar da tabela do principal índice de classificação. A tecnologia da OPPO resolve problemas associados a traços faciais pouco nítidos, expressões exageradas e até dados de imagem danificados por movimentos da vida real, especialmente em vídeos dinâmicos, produzindo modelos faciais em 3D com maior precisão.

O algoritmo de deteção facial desenvolvido pela OPPO consegue identificar 635 pontos característicos essenciais a uma taxa de 30 vezes por segundo. A mesma arquitetura de algoritmo é utilizada para a funcionalidade de vídeo de maquilhagem por IA integrada no mais recente smartphone da OPPO, o Reno 6, a qual permite aos utilizadores criar facilmente efeitos dinâmicos e de beleza natural nos seus vídeos. Esta tecnologia irá promover a evolução da tecnologia de retrato em vídeo, permitindo que o reconhecimento de características em 3D tornem os efeitos e filtros de maquilhagem mais reais e personalizados. Os utilizadores poderão também contar com filtros de RA mais ricos e harmoniosos nas redes sociais, beneficiando de uma experiência de tecnologia de ponta através de momentos do quotidiano.

IA que compreende o espaço e o tempo

As capacidades de IA da OPPO já se encontram numa fase de desenvolvimento em que conseguem reconhecer ações humanas no espaço e no tempoNa Competição SoccerNet, a OPPO ficou em segundo lugar na Deteção de Ações e Marcação Temporal da Repetição. O objetivo da competição consistia em avaliar a capacidade de os algoritmos identificarem mais de uma dezena de ações-chave num vídeo de um jogo de futebol, incluindo infrações de fora de jogo e de cartão vermelho, que são geralmente difíceis de reconhecer pelos seres humanos devido à complexidade das regras e à subtileza da interpretação das mesmas. Para ser eficaz, o algoritmo de IA também necessita de ter em conta outras variáveis como os diferentes ângulos da câmara e ainda captar corretamente a informação da hora da ação visualizada numa dada sequência repetida durante o jogo original. As futuras aplicações desta tecnologia são vastas e contribuirão para melhorar a experiência dos amantes de desporto através de funcionalidades como os destaques dos jogos criados automaticamente. De forma semelhante, a tecnologia também pode servir para criar destaques automáticos da vida de um utilizador – por exemplo, clips de destaque semanais – através da análise dos vídeos existentes no respetivo smartphone.

Na Competição MMact, a OPPO ficou em segundo lugar tanto na categoria Reconhecimento de Ações Intermodal como na de Localização Temporal de Ações Intermodais. O potente algoritmo de IA da OPPO consegue reconhecer com precisão mais de dez tipos de ações num vídeo, como falar, agachar-se e caminhar, recorrendo apenas a dados visuais. Espera-se que esta tecnologia seja amplamente utilizada no futuro em casas inteligentes, com benefícios que incluem a capacidade de cuidar melhor de crianças, animais domésticos, idosos ou outros grupos de pessoas vulneráveis que habitem a casa. Por exemplo, a IA pode alertar os pais noutra divisão assim que um bebé ou uma criança exibam ações que possam ser potencialmente perigosas.

A OPPO também ficou em terceiro lugar na Competição de Cinestesia AVA, que utiliza o primeiro conjunto de dados do setor a incluir informação tanto sobre o espaço como sobre o tempo. Nesta Competição, há muito que a área de Posicionamento é uma das competições mais populares no campo da inteligência artificial, atraindo concorrentes das principais universidades e empresas tecnológicas internacionais. O algoritmo de Cinestesia AVA consegue não apenas identificar corretamente os vários comportamentos das pessoas no vídeo, como também anotar a respetiva hora e posição. Consequentemente, a tecnologia de IA da OPPO não só compreende o que está a fazer, mas também onde e quando está a fazê-lo.

OPPO continua a explorar as fronteiras da tecnologia de IA

Na edição da CVPR deste ano, a OPPO também atingiu um marco importante nas competições académicas mais avançadas, conquistando dois terceiros prémios no concurso LOVEU (Long-form Video Understanding). O concurso LOVEU exige que a tecnologia de IA compreenda o conteúdo de um vídeo e o divida em segmentos sem que lhe sejam fornecidas categorias pré-definidas. Dada a enorme variedade de conteúdos possíveis, a competição representa um teste significativo à capacidade de os algoritmos de IA serem aplicados a situações mais generalizadas: é necessário que a IA pense como um ser humano, compreenda cores, objetos, ações humanas e até a luminosidade no vídeo, e que interprete a forma como estes aspetos se modificam ao longo do tempo. No futuro, esta tecnologia tem o potencial de ser amplamente utilizada como base para outras tarefas de IA em processamento de vídeo, como a deteção facial e o reconhecimento de comportamentos.

Centro de Investigação da OPPO nos EUA participou na Competição Densidade Profunda para Condução Autónoma, demonstrando que a sua tecnologia pode fornecer informações de densidade e profundidade em 3D a partir de uma imagem em 2D. A OPPO conquistou o segundo lugar na Pista Auto supervisionada e arrecadou o “Prémio Novidade”. Esta tecnologia emprega modelos de aprendizagem profunda para fornecer diretamente informações sobre a profundidade retiradas de imagens regulares e poderá, no futuro, substituir sensores de profundidade como, por exemplo, os ToF (Time of Flight ou Tempo de Voo), melhorando as experiências de navegação no interior e no exterior.

Leiam as últimas notícias do mundo da tecnologia no Google News , Facebook  e Twitter e também no nosso Grupo de Telegram
Todos os dias vos trazemos dezenas de notícias sobre o mundo Android em Português. Sigam-nos no Google Notícias. Cliquem aqui e depois em Seguir. Obrigado!