Android Geek
O maior site de Android em Português

Novo estudo acusa iPhones de falhar mais que dispositivos Android

Embora seja geralmente aceite que o iPhone seja mais estável do que a maioria dos dispositivos Android, a verdade é que novos dados compilados pelo Grupo de Tecnologia Blancco sugere o contrário. Num novo relatório de pesquisa que abrange o desempenho dos dispositivos móveis no terceiro trimestre de 2016, a empresa de segurança de dados retransmite que 62% dos dispositivos iOS sofreu pelo menos uma falha de algum tipo ao longo dos últimos três meses em comparação com apenas 47% dos dispositivos Android.


Segundo o relatório, que tem uma grande quantidade de dados interessantes para dissecar, a distribuição de aplicações com maior probabilidade de falhar varia muito em cada uma das respetivas plataformas. Os dispositivos iOS com aplicações de terceiros voltadas para as redes sociais como Instagram e Snapchat, são mais propensas a falhas, e os dispositivos Android estavam mais propensos a falhar quando em execução de aplicações mais básicas do sistema, como o Address Book e Google Play Services.

"Segundo os nossos dados, as aplicações falharam em 65 por cento dos dispositivos iOS testados no terceiro trimestre de 2016. Isto é quase o triplo da taxa de falhas das aplicações em dispositivos Android - 25 por cento - no mesmo período. Há também um aumento considerável na taxa de aplicações que deixam de funcionar em dispositivos iOS em relação ao trimestre anterior (50 por cento). Em contraste, a taxa de aplicações que deixam de funcionar em dispositivos Android não aumentou de forma tão significativa como nos dispositivos iOS."

O estudo foi realizado num período de tempo que a Apple fez sair o iOS10, por isso é lógico que os utilizadores que atualizaram os seus dispositivos para essas versões, numa primeira fase, continuassem a usar aplicações desatualizadas e mais propensas a falhas. Em baixo deixamos a lista de aplicações que criaram maior problemas ao sistema da Apple:

ios-crashing-apps.png

Para mais informações poderão consultar todo o estudo aqui.

Ajuda-nos a chegar mais longe, partilha com os teus amigos

Obrigado pela visita!

Este Website usa cookies para providenciar uma melhor experiência. Pode recusar se desejar. Aceitar Saber Mais

Ajuda-nos a chegar mais longe, partilha com os teus amigos

Obrigado pela visita!
close-link