Android Geek
O maior site de Android em Português

Huawei espera queda de US $ 10 mil milhões nas receitas de smartphones devido a proibição dos EUA

A gigante de tecnologia chinesa espera acumular perdas significativas depois de ter sido colocada na lista de entidades impedidas de negociar com empresas dos EUA, mas agora ajustou a sua previsão e estima que o seu departamento de negócios de consumo perderá US $ 10 b mil milhões em receita, um terço abaixo das estimativas iniciais.

A gigante de tecnologia chinesa espera acumular perdas significativas depois de ter sido colocada na lista de entidades impedidas de negociar com empresas dos EUA, mas agora ajustou a sua previsão e estima que o seu departamento de negócios de consumo perderá US $ 10 mil milhões em receita, um terço abaixo das estimativas iniciais.

Huawei divulgou a sua informação financeira referente ao H1. Neste relatório mostrou que as receitas da empresa cresceram 23% em relação ao ano passado e que veneram 118 milhões de smartphones, apesar do impacto negativo da proibição do comércio dos EUA.

A gigante de tecnologia chinesa espera acumular perdas significativas depois de ter sido colocada na lista de entidades impedidas de negociar com empresas dos EUA, mas agora ajustou a sua previsão e estima que o seu departamento de negócios de consumo perderá US $ 10 mil milhões em receita, um terço abaixo das estimativas iniciais.

Huawei espera queda de US $ 10 bilhões nas receitas de smartphones devido a proibição nos EUA

O vice-presidente da Huawei, Eric Xu, fez a última previsão durante uma sessão de perguntas e respostas após o anúncio do novo chipset Ascend 910 AI da Huawei destinado a data centers. De acordo com Xu, a proibição afetou definitivamente a estratégia de negócios da Huawei para o futuro, mas as perdas potenciais na divisão de smartphones não são uma ameaça tão grande quanto o esperado anteriormente.

Huawei espera queda de US $ 10 bilhões nas receitas de smartphones devido a proibição nos EUA

A Huawei recebeu recentemente outra extensão de 90 dias à sua licença de comércio temporário do Departamento de Comércio dos EUA. Há esperanças de que a China e os EUA cheguem a um acordo em relação à sua actual disputa comercial antes que a nova licença expire, mas, a julgar pelos desenvolvimentos passados, nada é certo.

Através da