Android Geek
O maior site de Android em Português

Huawei desiste de conquistar os EUA?

Embora o governo dos EUA já tenha alertado os norte-americanos de que os dispositivos da Huawei poderiam estar a espiar os seus dados pessoais assim como de empresas norte americanas  a empresa chinesa afirmou recentemente que não iria desistir do mercado dos EUA.
After-laying-off-five-U.S.-employees-is-Huawei-giving-up-on-grabbing-a-strong-stateside-presence.jpg

A Huawei tem como objectivo assumido ultrapassar as rivais Apple e Samsung como o maior fabricante de smartphones do mundo , e para este objectivo é importante para a Huawei posicionar-se nos Estados Unidos por meio de uma das principais operadoras norte-americanas.

O plano era que, a Verizon e a AT & T tivessem já o Huawei Mate 10 Pro no início deste ano, mas ambas desistiram no último minuto. Há especulações de que as duas operadoras foram pressionadas a desistir por ordens do governo dos EUA .

Apesar da reação inicial da Huawei em avançar com os planos de encontrar parceiros de distribuição nos EUA, a empresa pode ter mudado de ideias. Recentemente, a Huawei dispensou cinco membros da sua equipa, incluindo o William B. Plummer, que esteve com a empresa oito anos. O título de Plummer era vice-presidente de assuntos externos, e seu trabalho principal era convencer os legisladores em Washington de que a Huawei não tinha vínculos com o governo chinês. Mas ele não teve sucesso; ontem, a FCC votou para dar seguimento à uma regra que proibe as operadoras de telecomunicações subsidiadas pelo governo federal de usar fornecedores considerados ameaças à segurança nacional. E apesar de a Huawei não ter sido mencionada pelo nome, é uma das empresas que o governo dos EUA inclui neste lote.

Embora a Huawei não tenha comentado oficialmente nada a respeito dos seus planos futuros para os EUA, o CEO da Huawei, Richard Yu, afirmou no mês passado que a empresa ainda pode se tornar a maior fabricante de smartphones do mundo , mesmo sem uma forte presença nos EUA. Com as recentes demissões, a empresa pode ter decidido que não pode lutar contra o governo.

fonte: NYTimes

 

Partilhar é importante, mostra este artigo aos teus amigos!

Obrigado, ficamos a dever-te uma 😉

Este Website usa cookies para providenciar uma melhor experiência. Pode recusar se desejar. Aceitar Saber Mais

Partilhar é importante, mostra este artigo aos teus amigos!

Obrigado, ficamos a dever-te uma ;)
close-link