Foxconn viola leis trabalhistas chinesas para acompanhar pedidos do iPhone 11

A maior questão revelada na informação é que 50% da força de trabalho da Foxconn é composta de mão-de-obra temporária, A lei chinesa diz que só pode ir até 10%.

A maior questão revelada na informação é que 50% da força de trabalho da Foxconn é composta de mão-de-obra temporária, A lei chinesa diz que só pode ir até 10%.

O grupo chinês Labor Watch sinalizou que as fábricas da Foxconn estão a violar a lei chinesa. Como muitos de vocês sabem, a Foxconn é a fabricante dos iPhone da Apple, então a empresa com sede em Cupertino realizou uma investigação própria e admitiu que algumas das alegações são verdadeiras, mas não todas.

A maior questão revelada na informação é que 50% da força de trabalho da Foxconn é composta de mão-de-obra temporária, A lei chinesa diz que só pode ir até 10%. A Apple salienta que está a trabalhar em estreita colaboração com a Foxconn para resolver o problema, mas qualquer mudança repentina no cronograma de trabalho pode afetar o lançamento dos iPhones deste ano.

Foxconn viola leis trabalhistas chinesas para acompanhar pedidos do iPhone 11

A informação continua com alegações de que a Foxconn exigia que os trabalhadores fizessem horas extras, embora a investigação da Apple diga que todos os turnos extras eram voluntários. No entanto, alguns dos funcionários que trabalharam horas extras consistem em trabalhadores estagiários, que não podem ter horas extra.

A empresa dos EUA garantiu que não há estudantes a trabalhar horas extra.

Relacionado:  OPPO e Thales apresentam primeiro eSim do mundo compatível com redes 5G SA

Parece que a Foxconn está a ter dificuldades para atender aos pedidos do iPhone 11 da Apple. Isso pode significar que a Apple espera que as vendas subam este ano.

Fonte

 

Todos os dias vos trazemos dezenas de notícias sobre o mundo Android em Português. Sigam-nos no Google Notícias. Cliquem aqui e depois em Seguir. Obrigado!