Android Geek
O maior site de Android em Português

Foto real do Xiaomi Mi 9 está a põr a Internet em alvoroço

Especificações especulativas apontam o ecrã AMOLED com 6,4 polegadas, com resolução de 1080 x 2220 (FHD +). Isso funciona com uma proporção de 18,5:

A foto mostra um dispositivo com molduras finas e um entalhe em formato de gota de água. Especificações especulativas apontam o ecrã AMOLED com 6,4 polegadas, com resolução de 1080 x 2220 (FHD +). Isso funciona com uma proporção de 18,5: 9. A Plataforma Móvel Snapdragon 855 topo de gama da Qualcomm estará no seu interior, juntamente com 6 GB de RAM e 128 GB de armazenamento interno, ou 8 GB de RAM com 256 GB de armazenamento nativo.

Foto real do Xiaomi Mi 9 está a põr a Internet em alvoroço 1

A foto anterior do Mi 9 revelou uma configuração de câmara tripla na traseira. Pudemos ver uma câmara primária de 48MP (com o sensor IMX586 da Sony), um sensor secundário de 12MP e um sensor de profundidade 3D Time-of-Flight. A câmara selfie na frente supostamente contará com um sensor Sony IMX576 de 24MP.
A responsável pela autonomia será uma bateria de capacidade de 3500mAh. O Android 9 Pie virá pré-instalado em conjunto com a interface MIUI da Xiaomi. O scanner de impressão digital no ecrã do Mi 9 pode cobrir uma área do ecrã de 50 mm x 25 mm, 5 vezes o tamanho dos leitores de impressão digital no ecrã encontrados no Mi 8 Pro e Mi 8 Explorer Edition.
Foto real do Xiaomi Mi 9 está a põr a Internet em alvoroço
Foto real do Xiaomi Mi 9 está a põr a Internet em alvoroço

O co-fundador e presidente da empresa, Bin Lin, disse que a Xiaomi irá mais uma vez lançar uma versão "Explorer Edition" do seu novo aparelho principal. Esse modelo pode ser equipado com 10 GB de RAM e 512 GB ou 1 TB de armazenamento nativo, oferece recursos não encontrados na versão base do telefone e vêm com uma parte traseira transparente.

A Xiaomi recentemente "empurrou" os seus smartphones de baixo custo para a submarca Redmi como uma unidade separada. Os aparelhos, oferecidos apenas online, tiveram um desempenho muito bom na Índia. O país é o segundo maior mercado de smartphones do mundo, mas sofre com uma baixa renda per capita. Num ambiente como esTe, os telefones Redmi encaixam muito bem. A Mi irá concentrar-se em telefones mais sofisticados disponíveis nas lojas e online.

Xiaomi está a prosperar na Índia, mas está a lutar no seu mercado doméstico

No seu próprio quintal, a Xiaomi não se comporta tão bem. Dados da IDC que cobrem os smartphones expedidos na China durante o quarto trimestre de 2018 mostram que a empresa foi a quarta maior fabricante do país com uma quota de mercado de 10%. De outubro a novembro, a Xiaomi vendeu 34,9% menos telefones na China em comparação com o mesmo trimestre de 2017. Logo acima da Xiaomi, em terceiro lugar, estava a Apple, com 11,5% do mercado chinês. Os equipamentos expedidos da Apple caíram 19,9% ano a ano. No topo estava a Huawei com uma fatia de 29% do bolo. Os smartphones expedidos deste último no país aumentaram 23% em relação ao ano anterior.

No geral, a Counterpoint Research diz que, globalmente, a Xiaomi foi a quarta maior fabricante de smartphones no ano passado e detinha uma fatia de 8% do mercado. A empresa vendeu 121 milhões de smartphones em 2018.

Embora o fabricante tenha se mudado para a Europa, o ambiente para os fabricantes de smartphones chineses nos EUA não é favorável de momento, a menos que a empresa se chame OnePlus. A guerra comercial entre os EUA e a China, juntamente com as acusações criminais impostas à Huawei, e a próxima ordem executiva do presidente tornariam este um período de risco para a Xiaomi entrar no mercado dos EUA. Espera-se que Trump proíba as operadoras norte-americanas de usar equipamentos de rede de empresas chinesas por alegado receio que o equipamento possa conter uma BackDoor que recolhe informações e as envie ao governo chinês.

Fonte

Este Website usa cookies para providenciar uma melhor experiência. Pode recusar se desejar. Aceitar Saber Mais