Como “formatar” corretamente um dispositivo Android?

Habitualmente faz-se uma reposição para as configurações de fábrica, mas sabia que uma tradicional reposição de dados de fábrica, não vai limpar a 100% toda a informação pessoal? Apesar de tudo muito bem escondido, grande parte dos seus dados pessoais sobreviverá à limpeza.

Está a pensar vender ou dar o seu dispositivo Android a alguém? Então está na hora de fazer uma boa limpeza ao mesmo, para que a sua informação pessoal não vá no telefone/tablet.
Habitualmente faz-se uma reposição para as configurações de fábrica, mas sabia que uma tradicional reposição de dados de fábrica, não vai limpar a 100% toda a informação pessoal?

Apesar de tudo muito bem escondido, grande parte dos seus dados pessoais sobreviverá à limpeza. Independentemente disso, há uma grande quantidade de ferramentas que permitem que o novo proprietário do dispositivo possa aceder facilmente a essa informação. Neste artigo vamos mostrar-lhe como realmente deve proceder no momentos em que se for desfazer do seu dispositivo, de modo a ficar com a certeza que todas as informações sensíveis foram realmente eliminadas.

Primeiro temos de perceber como é tratado o armazenamento

Certamente que em algum momento, já ouviram falar em serviços ou programas que recuperam a informação perdida. E sim isso é possível, muito por culpa de como os sistema operativos (Android incluído) tratam da informação armazenada.

Nenhum ficheiro é realmente apagado quando carregamos no botão “delete”, esse ficheiro só se torna invisível para o utilizador e o espaço que ele ocupa é simplesmente marcado como livre, mas na realidade o ficheiro continua lá. Em seguida, ele é deixado em segundo plano até que o sistema necessite novamente desse espaço.

Mas porque é que isso está feito assim? Existem algumas razões pelas quais este método é muito conveniente. Primeiro porque eliminar realmente um ficheiro de uma unidade pode ter influencia sobre o hardware. Os discos rígidos, ou até mesmo os SSDs têm uma vida útil estimado, depois de tantas regravações eles têm desgaste. Ao marcar um ficheiro como “excluído” mas não o remover completamente, reduz a quantidade de vezes que são feitas modificações no armazenamento.
Depois tem a vantagem do hardware mais lento sair beneficiado com isso. Isso é porque ele é muito mais rápido a marcar uma grande quantidade de ficheiros como invisíveis, do que excluí-los. As unidades de armazenamento nos dias de hoje são super rápidas, mas esta forma continua a ajudar a torna-las mais rápidas. Mas nem que fosse só para aumentar a vida útil do dispositivos de armazenamento, já valia a pena, alem de que só assim é possível fazer a recuperação de informação, após algum “apagão” acidental.

Então como limpar corretamente um telefone Android?

Infelizmente não existe um modo realmente eficaz para deixar o dispositivo totalmente limpo, no entanto existem procedimentos a tomar que minimizam as possibilidades de terem acesso à nossa informação.

Criptografar o telefone

Já que todas as nossas coisas vão ficar no armazenamento dos nossos telefones/tablets mesmo após uma reposição de dados de fábrica, então pelo menos vamos garantir que ninguém possa tirar proveito dela. Criptografar o dispositivo não faz com que a informação desapareça do dispositivo, no entanto qualquer informação obtida a partir de um dispositivo encriptado, não poderá ser lida. Isso faz com que a pessoa que tentar aceder à sua informação, não seja capaz de a ler.

Para ativar a Criptografia, basta ir para às Definições -> Segurança -> Encriptar telefone (as etapas podem variar de telefone para telefone). É um processo super simples, e nos telefones com Android Marshmallow ou mais recente, esta opção está disponível para todos.

Assim que acabar de criptografar o telefone, basta repor os dados de fábrica, tal como fazias se não tivesses lido este artigo.

Encher o telefone com arquivos triviais

Outra das soluções para haver ainda menos possibilidades de se aceder a informações pessoais, é após teres reposto os dados de fabrica, encher o que sobra da memoria interna do dispositivo com dados triviais.
Ou seja, depois de “formatado” encher toda a memoria que o telefone/tablet tenha, faz com que todo e qualquer ficheiro que até agora nos estava invisível, seja sobreposto. Isso faz com que, depois de apagares novamente o que colocaste para encher a memoria do dispositivo, o que fica “invisível” para o utilizador é de facto essa informação e não o que lá estava antes dessa.

Tens outras formas de “ocultar” as nossas informações no momento de vender/dar um nosso dispositivo a um terceiro? Conta-nos tudo.

Leiam as últimas notícias do mundo da tecnologia no Google News , Facebook  e Twitter e também no nosso Grupo de Telegram
Todos os dias vos trazemos dezenas de notícias sobre o mundo Android em Português. Sigam-nos no Google Notícias. Cliquem aqui e depois em Seguir. Obrigado!