Android Geek
O maior site de Android em Português

Embargo dos EUA pode ser contornado: Huawei está a planear produzir os seus próprios Chipsets

A Huawei perdeu , para já, o abastecimento de Chipsets da TSMC, como resultado as empresas norte-americanas temem que essa decisão do governo acabe por afastar os seus clientes. Em 2019, Huawei enfrentou uma proibição comercial pelo Departamento de Comércio dos EUA.

embora cada vez mais parceiros tenham permissão para fornecer produtos ao grupo chinês, os EUA mantêm a maioria das restrições á compra de processadores. Para contornar isso, a Huawei está a planear construir a sua própria unidade de produção de Chipsets.

Apesar de tudo o que a Huawei tem feito, ainda tem um problema: embora cada vez mais parceiros tenham permissão para fornecer produtos ao grupo chinês, os EUA mantêm a maioria das restrições á compra de processadores. Para contornar isso, a Huawei está a planear construir a sua própria unidade de produção de Chipsets.

O Financial Times citando uma série de fontes fornecedoras do fabricante chinês de smartphones, relatou que a empresa quer construir as suas próprias estruturas para a produção de CPUs e designs de sistema em Chipset num tempo surpreendentemente curto. Isso tornaria independente de fabricantes contratados, como TSMC, SMIC ou Samsung, dos quais a Huawei dependia anteriormente.

Embargo dos EUA pode ser contornado: Huawei está a planear produzir os seus próprios Chipsets 1
A Huawei perdeu , para já, o abastecimento de Chipsets da TSMC, como resultado as empresas norte-americanas temem que essa decisão do governo acabe por afastar os seus clientes. Em 2019, Huawei enfrentou uma proibição comercial pelo Departamento de Comércio dos EUA.

A dependência da disponibilidade de Chipsets de grandes fanricantes de Chipsets, como Qualcomm ou MediaTek, também seria eliminada com a criação das suas próprias instalações de produção. Com a equipa HiSilicon, a Huawei já tinha recursos próprios para desenvolver poderosos processadores para smartphones e outros dispositivos, mas até agora teve sempre que usar os serviços de fabricantes contratados para, ter os Chipsets construídos.

A produção interna de Chipsets para smartphones ainda está longe

De acordo com a informação do Financial Times, a Huawei pretende implementar a sua própria unidade de produção de Chipsets dentro de alguns anos, embora os SoCs produzidos desta forma não se consigam equiparar aos Chipsets ultramodernos produzidos por terceiros por enquanto. A TSMC, Samsung & Co estão a fabricar Chipsets de 7 nanômetros de forma confiável e a produção de Chipsets numa escala de 5 nanômetros já começou, os recursos de produção de Chipsets da Huawei devem usar tecnologias significativamente mais antigas e entregar Chipsets correspondentemente "maiores" e menos eficientes.

Relacionado:  Os jogos para smartphone vão mudar a publicidade digital

UMA FERA! Huawei Mate 40 Pro com Kirin 9000 pontua 720K no AnTuTu

Inicialmente, a Huawei pretende construir Chipsets de 45 nanômetros que possam ser usados ​​para aplicações simples. Até ao final de 2021, a Huawei terá como objetivo produzir Chipsets numa escala de 28 nanômetros que possam ser usados ​​para aplicações na Internet das Coisas. De acordo com o seu próprio plano, a Huawei não será capaz de produzir Chipsets com largura de estrutura de 20 nanômetros até ao final de 2022. Eles devem ser usados ​​em hardware de telecomunicações de Redes 5G ,  provavelmente.

A Huawei não tem experiência própria com a produção de Chipsets, a empresa vai , por isso, usar o chamado Centro de P&D de Xangai IC, que deve ficar a cargo da produção. Esta é uma empresa especializada e tem como objetivo permitir que empresas locais configurem seus próprios sistemas de produção de Chipsets.

Obviamente, os produtos fabricados pela fábrica de Chipsets da Huawei não devem ser usados ​​inicialmente em smartphones, a questão de como a Huawei pretende equipar os seus SmartPhones no futuro permanece em aberto.

 

Fonte

Todos os dias vos trazemos dezenas de notícias sobre o mundo Android em Português. Sigam-nos no Google Notícias. Cliquem aqui e depois em Seguir. Obrigado!