Em breve vai poder ver mamilos no Facebook e Instagram

Esta decisão vem depois de uma conta gerida por um casal americano ter tido dois posts censurados no Facebook por representarem mamilos. O pedido do Oversight Board baseou-se no cumprimento de critérios internacionais de direitos humanos relativos à nudez adulta e à actividade sexual.

O Facebook e a Instagram anunciaram recentemente que estão a rever as regras que proíbem a colocação de mamilos, na sequência de um pedido feito pelo Oversight Board do gigante da tecnologia. O conselho é um grupo internacional de peritos composto por jornalistas, académicos e políticos, cujo papel é aconselhar a empresa nas decisões de moderação de conteúdo relacionadas com as suas normas comunitárias. Esta decisão vem depois de uma conta gerida por um casal americano ter tido dois posts censurados no Facebook por representarem mamilos.

O pedido do Oversight Board baseou-se no cumprimento de critérios internacionais de direitos humanos relativos à nudez adulta e à actividade sexual. A sua recomendação acabou por ser aceite pelo Facebook e Instagram, que estão agora a insinuar que se deve permitir mais clemência quando se trata de partilhar conteúdos com tais imagens. Isto poderia significar permitir que as pessoas publicassem fotos de si próprias a amamentar ou a usar sutiãs sem medo de censura ou de repercussões.

Em breve vai poder ver mamilos no Facebook e Instagram 1

Esta mudança na política poderia abrir inúmeras oportunidades para indivíduos e grupos que têm sido tradicionalmente silenciados nas redes sociais devido a normas de conteúdo “inadequadas”. Poderia também ajudar a dar maior visibilidade a uma vasta gama de tópicos que têm sido frequentemente considerados demasiado controversos para discussão em linha, tais como identidade de género e positividade corporal. Além disso, esta mudança pode significar uma mudança maior na forma como as plataformas dos meios de comunicação social lidam com questões relacionadas com os direitos humanos e a expressão pessoal. Resta saber que impacto esta decisão terá na sociedade como um todo, mas parece certamente que isto poderá ser um grande passo em frente em termos de criação de políticas mais progressistas na Internet a nível mundial.

Os mamilos são todos iguais

A questão da nudez nas redes sociais é uma questão que continua a suscitar debate e a dividir a opinião pública. A última decisão do Facebook e da Instagram de rever as suas regras que proíbem a partilha de conteúdos contendo imagens de mamilos, tem muitas pessoas a falar. Esta decisão surge após um pedido do Large Technology Oversight Council, um grupo composto por académicos, jornalistas e políticos, que defendeu uma modificação nas normas comunitárias existentes sobre nudez adulta e actividade sexual para aderir às práticas de direitos humanos internacionalmente reconhecidas.

Em breve vai poder ver mamilos no Facebook e Instagram 2

O pedido foi apoiado por um casal de transgéneros americanos que tinham dois postos censurados por sua conta – postos que se destinavam a dar visibilidade aos membros da comunidade transgénero e a chamar a atenção para questões como a discriminação baseada no género. Os posts apresentavam ambos os indivíduos usando apenas sutiãs, que o casal alega não ter violado quaisquer regras ou directrizes na altura em que foram partilhados.

Embora este movimento não signifique necessariamente que todos os tipos de nudez serão permitidos em plataformas como o Facebook e o Instagram (que ainda têm directrizes estritas sobre conteúdos com actividades pornográficas ou menores), ele assinala uma mudança de atitude em relação a imagens representando corpos de mulheres sem julgamento ou censura. Se aprovado, isto poderia potencialmente aliviar as restrições em torno de temas como amamentação, cicatrizes de mastectomia, movimentos de positividade corporal, disforia de género, entre outros – tudo isto enquanto promove um ambiente mais inclusivo para todos, independentemente da identidade de género ou tipo de corpo.

Esta mudança potencial também traz consigo algumas implicações importantes no que diz respeito à liberdade de expressão em linha. Permitir que as pessoas partilhem conteúdos com imagens de mamilos pode parecer pequeno à primeira vista, mas pode de facto fazer uma enorme afirmação quando se trata de reconhecer o direito das pessoas a expressarem-se sem medo de censura ou punição. Pode também levar outras plataformas de comunicação social a reexaminar as suas próprias políticas relacionadas com a nudez e ajudar a estabelecer precedentes para futuras decisões sobre moderação de conteúdos em tais sítios em todo o mundo.

Vai gostar de saber:  HUAWEI MatePad SE 11" já está disponível com preços a partir de 189 euros

Em última análise, todos podemos concordar que existem certos casos em que a nudez não deve ser permitida nos meios de comunicação social (como quando envolvem menores), mas é importante que traçamos a linha entre permitir formas aceitáveis de auto-expressão, protegendo simultaneamente as comunidades vulneráveis da exploração ou danos. Esperamos que esta análise do Facebook e da Instagram abra caminho a conversas significativas em torno do nudismo em linha, levando-nos mais perto de uma Internet onde todos se sintam suficientemente seguros para se expressarem sem julgamento ou censura.

Mudança de planos

A recente decisão do Meta Oversight Council de remover imagens censuradas de utilizadores intersexo, transgénero e não-binário deu início a uma conversa mais ampla sobre as falhas nas regras contra a exposição do mamilo. Esta política baseia-se numa visão binária do género: corpos masculinos e femininos, não deixando espaço para aqueles que não se enquadram em nenhuma destas categorias..

Esta questão também não se limita apenas às plataformas dos meios de comunicação social; está enraizada em questões societais maiores que também precisam de ser abordadas. A identidade de género é complexa e não pode ser definida por duas categorias simples. A falta de reconhecimento da fluidez de género conduz à discriminação, apagamento e violência contra aqueles que não se conformam com os papéis tradicionais de género.

Para combater este problema, o Meta Oversight Council propôs que as empresas tecnológicas “estabeleçam políticas claras, objectivas e respeitadoras dos direitos relativamente à moderação da nudez”. Isto asseguraria que as redes sociais protegessem os direitos de todos os utilizadores, independentemente da sua identidade ou expressão de género.

Em resposta a esta recomendação, o gigante tecnológico reconheceu a decisão tomada pelo Meta Oversight Council e declarou o seu empenho em melhorar as suas políticas no que diz respeito à moderação da nudez e a sua vontade de colaborar com peritos e organizações dedicadas à protecção dos direitos humanos para todos os géneros.

No entanto, temos de reconhecer que a mudança não acontece da noite para o dia; é preciso tempo para as mentalidades das pessoas mudarem de uma forma de pensar para outra. Temos de continuar a dialogar sobre a expressão do género a partir das nossas próprias casas até à sua normalização na sociedade como um todo. É tempo de as empresas tecnológicas tomarem uma posição sobre questões de direitos humanos, introduzindo políticas baseadas no respeito por todos os géneros, para que possamos ver um progresso real dentro das nossas sociedades.

 

Fonte

Leiam as últimas notícias do mundo da tecnologia no Google News , Facebook  e Twitter e também no nosso Grupo de Telegram
Todos os dias vos trazemos dezenas de notícias sobre o mundo Android em Português. Sigam-nos no Google Notícias. Cliquem aqui e depois em Seguir. Obrigado!