Elon Musk quer ressuscitar Vine para lutar contra o TikTok

A partir da tarde de segunda-feira, as respostas inclinam-se fortemente para “Sim”, com 69% de votos a favor do regresso. Se não estiver familiarizado, Vine era um serviço de vídeo que fazia looping de vídeos de seis segundos.

O Musk está apenas a dias de ser propriedade oficial do Twitter, e já o bilionário pôs os olhos em reavivar a velhinha aplicação Vine.

O novo dono do Twitter tweetou uma sondagem no domingo, perguntando aos utilizadores se gostariam que ele trouxesse a Vine de volta. A partir da tarde de segunda-feira, as respostas inclinam-se fortemente para “Sim”, com 69% de votos a favor do regresso.

 

Se não estiver familiarizado, Vine era um serviço de vídeo que fazia looping de vídeos de seis segundos. O serviço foi comprado pelo Twitter em 2012, mas foi mantido um pouco separado da plataforma dos meios de comunicação social. No entanto, apesar da sua popularidade, o aplicativo foi encerrado em 2016, embora os utilizadores tenham podido ver o conteúdo durante algum tempo depois, e parte dele pode ser encontrado no YouTube através de compilações.

 

Elon Musk quer ressuscitar Vine para lutar contra o TikTok 1

 

A descontinuação da Vine levou ao surgimento de plataformas de vídeo de formato mais longo, tais como Instagram, TikTok, e muito mais, que se concentraram fortemente nos criadores e na monetização. Entretanto, o último esforço significativo de vídeo focado no Twitter caiu por terra quando a empresa matou as Fleets em 2021.

Segundo o Axios, os engenheiros já começaram a trabalhar na reinicialização. Estão a peneirar através do código antigo e inalterado da aplicação. Segundo consta, a reinicialização poderá ocorrer até ao final do ano. Contudo, alguém que trabalhou anteriormente no Vine sugere que seria mais fácil recomeçar do que retrabalhar o código existente.

Um porta-voz do Twitter diz que não tem nada a partilhar sobre o assunto. Um regresso do Vine poderia revelar-se um sucesso ou cair numa aparente obscuridade, como o seu sucessor espiritual, Byte, fez quando foi lançada no início de 2020. A aplicação foi liderada pelo co-fundador original da Vine e passou por várias mudanças de nome desde o seu início.

Se o Vine voltar, seria interessante ver se se mantém no formato de seis segundos, uma vez que as plataformas concorrentes continuam a permitir cada vez vídeos mais longos.

Curiosamente, a última vez que Elon Musk sondou os utilizadores sobre o seu interesse numa funcionalidade há muito esperada, o Twitter anunciou mais tarde que estava a trabalhar no botão Editar, que está atualmente disponível para testes no Twitter Blue.

Leiam as últimas notícias do mundo da tecnologia no Google News , Facebook  e Twitter e também no nosso Grupo de Telegram
Todos os dias vos trazemos dezenas de notícias sobre o mundo Android em Português. Sigam-nos no Google Notícias. Cliquem aqui e depois em Seguir. Obrigado!